sábado, 3 de fevereiro de 2024

A JOVEM FRANKENSTINA

Se a performance em si fosse só o que valesse para o Oscar de melhor atriz, Emma Stone já estaria com o prêmio nas mãos. Tenho lugar de fala, pois já vi os filmes das outra quatro indicadas. Todas ótimas, mas nenhuma encara um papel tão complexo e difícil como o da mulher adulta com cérebro de bebê que Emma faz em "Pobres Criaturas". O diretor grego Yorgos Lanthimos criou uma metáfora delirante, com várias camadas a serem descascadas. Para mim, um significado possível é a evolução da consciência feminista. Bella, a jovem Frankenstina, tem uma curiosidade insaciável e nenhuma amarra moral. Ela não acha na de mais se prostituir, e pergunta por que as pessoas não fazem sexo o tempo todo. A maneira como Emma faz a personagem passar do tatibitate a um discurso quase erudito é assombrosa, ainda mais se lembrarmos que as cenas não foram filmadas na ordem. Aliás, todo o elenco está fenomenal. Muito já se falou das performances de Mark Ruffalo e Willem Dafoe (que também merecia ser indicado ao Oscar), mas foi uma surpresa boa ver atrizes como Hanna Schygulla, Kathryn Hunter (que fez a feiticeira no "Macbeth" de Joel Coen) e a deslumbrante Margaret Qualley. A sala a que eu fui estava lotada, e até houve aplausos no final. Mais do que merecidos.

9 comentários:

  1. A questão é que Emma já tem um Oscar. Dar um segundo para ela ? Pode até acontecer, porque Hilary Swank surpreendeu e venceu dois em curto espaço de tempo. Mas Stone não é atriz para levar um segundo, não agora, assim a Academia deve avaliar, mas vá que né... Uma surpresa pode acontecer e ela levar. Esperar o SAG, se Lily Gladstone levar, ela dá mais um passo para receber a estatueta, mas os britânicos não estão com ela, e se o BAFTA for para Emma, ela pode nas últimos dias virar o jogo. Glenn Close, cotadíssima para vencer em 2019, perdeu nos últimos dias para Olivia Colman, fora outros exemplos do tipo.

    ResponderExcluir
  2. Ela é feia que dói. A atriz e a personagem também. Não simpatizei com a história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo.QUEM GOSTA DE POBRES
      CRIATURAS É UMA POBRE CRIATURA.Abs.

      Excluir
    2. 11:35 e 13:29 Nossa! Olhem! Dois deuses olímpicos entre nós! Não tenho auto estima (e nem roupa) para tal ocasião.

      Excluir
    3. 14:49-Eu,que escrevi aos 13:29 sou homem e gosto
      de mulher-e,concordo com o 11:35 em tudo.

      Excluir
  3. Ah que coisa. Como eu hiberno no inverno, deixei para ver quando saísse no Hulu. Porém, o buzz sobre esse filme está quase me fazendo mudar de ideia.

    ResponderExcluir
  4. O filme me pareceu de um feminismo revanchista e extremista, que enxerga nos homens a fonte de todo o mal. Transformar o homem em cabra no final deixa explícito esse propósito. Parece um exercício de machismo de sinal trocado, feito por um adolescente que acabou de descobrir que os homens podem fazer coisas ruins com as mulheres.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, por que será, ele queria arrancar o clitóris dela fora. Revanchismo de cy é rola.

      Excluir
  5. Todo ano uma atriz branca tem a melhor interpretação de todos os tempos especialmente quando concorre com não branca já foi meryl ano de assado cate e agora ela off gosto de todas

    ResponderExcluir