segunda-feira, 25 de dezembro de 2023

RIPLEY EM DOWNTON ABBEY

Pelo trailer, "Saltburn" parece uma comédia de costumes ligeiramente safada. O filme em si, disponível no Prime Video, é bem mais dark. Oliver é um estudante de classe média em Oxford que se encanta por um colega aristocrata, Felix. O primeiro é feito em por Barry Keoghan, que antigamente diríamos se tratar de uma "raimunda": feio de cara, bom de bunda. No papel do segundo está Jacob Elordi, a coisa mais linda que Deus pôs na Terra desta semana. Os dois ficam amigos, e Felix convida Oliver para passar o verão em Saltburn, o palácio rural de sua família. Mal sabe ele que está pondo o talentoso Ripley para dentro de casa, que não terá o menor escrúpulo em mentir e armar ciladas para seduzir, de maneiras diferentes, cada membro daquele clã. Rosamund está deliciosa como a matriarca Elspeth, ferina e fútil ao mesmo tempo. Todo mundo só pensa em extrair o máximo prazer de cada momento naquela Downton Abbey dos infernos, mas logo as coisas se complicam e mais não posso dizer. Só que "Saltburn" me decepcionou um pouco porque não é o longa que eu achei que iria ver, mas compensa por outro lado. E sem querer dar spoiler, mas na verdade incentivando meu leitorado a encarar o filme: tem uma cena em que Oliver lambe o ralo da banheira onde Felix acabou de se masturbar.

23 comentários:

  1. Acabei de ver o Jacobi meu Deus que gato!!!!!!!! Os aristotwats britânicos são humildes e educados tratam todos com respeito difícil encontrar um arrogante chato estilo elite brasileira como conhecemos tantos por aí. Aprenderam na segunda guerra quando a servitude praticamente acabou, trate bem a todos e não faça inimigos. Ontem fui caminhar pelo bairro vi pelo menos UMA NEGRA com uniforme de empregada estilo frenchmaid caminhando com o cachorro sabe qual é? A família nem deve ser rica, senti um nojo profundo convivi com os aristocratas ingleses e nem empregada eles tem vem uma cleaner uma vez por semana e ela não usa uniforme. Nojo 🤮

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já que vc tá todo se doendo pelo uniforme da empregada, é melhor utilizar "negra" como adjetivo, não substantivo. Talvez vc seja mais parecido com a galera que te enoja do que imagina...

      Excluir
    2. Nunca deixa de me impressionar a passada de pano que brasileiro passa para britânico.

      Cara, existe uma grande diferença entre percepção e realidade. Como brasileiro, você já é treinado de berço a saber o seu lugar na sociedade identificando os sinais de uma elite que sim nem se preocupa em esconder sinais óbvios. No caso britânico, tudo é novo para a gente. Sim, nos impressiona o fato de eles serem mais discretos, sem a chuva de logo e ostentação típicas de elites de países em desenvolvimento.

      Mas cuidado com os adjetivos: isso somente foi uma adaptação para sobreviver a uma realidade que mudou no século XX. A falta de empregados é resultado de que a maioria dos estates teve que ser vendida para garantir o prédio principal, no melhor dos casos. O pull-over discreto sem logo de lã não é um pullover qualquer, mas um pull-over de três ou quatro marcas irreconhecíveis para os de fora do círculo, mas claramente identificáveis para quem nasceu e cresceu nesse meio. E assim como o vestuário (onde entram conceitos surreais como "uma parka Barbour é ideal, mas tem que ter alguns furos e parecer usada senão fica claro que foi comprada ao invés de herdada"), as atividades esportivas (remo em Henley, rugby ao invés de popular & middle class football) e os locais de férias (inverno nos Alpes, verão no Sul da França, Itália mas nunca na Espanha), tudo é cuidadosamente construído em uma série de sinais sutis que permitem claramente os de berço e os newcomers.

      Excluir
    3. Provavelmente é a última réstia, que acreditam, possuir afirmativamente em seu mundinho miserável.
      G-

      Excluir
    4. O Mio Babbino Caro
      É impressão ou estamos novamente próximos de "Teorema".

      Excluir
    5. 11:42-A elite britânica é totalmente diferente da
      brasileira-culturalmente,principalmente.É só
      ver como é o centro de São Paulo e como é o
      centro de Londres-a nossa elite com raríssimas
      exceções prefere Miami,Orlando e Balneário
      Camboriú.Nem vamos falar como naquela ilha
      tratam a cultura,por exemplo.E a BBC,meus
      amigos,e a BBC meus amigos........

      Excluir
    6. Fernando eu convivi com a aristocracia séria inglesa e sim concordo com com vc é claro que dá pra notar o berço pelos gostos e não só isso, mas não por isso eles tratam a classe trabalhadora mal, com desrespeito e desdém que vemos aqui, e não é só na inglaterra até os americanos ricos tem mais educação a escravidão nunca acabou aqui e o pior medo dos rapineiros brasileiros é que ela acabe e eles percam seu status e a vida boa de explorar um ser humano no limite do possível. Quer um exemplo? a esposa do principe da Suécia metade brasileiro é uma garçonete stripper pobre, a princesa da Suécia vive andando descalça em Itacaré onde eles tem casa,

      Excluir
    7. 11:11 qual o problema da pessoa ser NEGRA? e não pode falar NEGRA porque? na boa...é tipo as gay que se chamam de aquela bixa entre si mas se vc chamar de viado meu deus, me poupe.

      Excluir
    8. 14:52 vc resumiu bem e vai além disso, o Brasil é um celeiro de talentos mal aproveitado. É triste ver um cara que poderia ser um artista ou arquiteto entregando uma pizza no aplicativo. Somos um pais lindo veja inglaterra uma ilha feia e como eles fazem ficar legal aqui um pais lindo estragam pra todo mundo.

      Excluir
    9. Um ótimo exemplo da elite brasileira: Nizan! Boca de lixo, ignorante (chamou Adriana Huffington de americana na sua famosa resenha sobre o filho eu fiquei imaginando a cara dela) racista, misogino (gostava de levar executivos pra jantar com a feiosa da Gisele que como ele não terminou a sétima série), abusador de funcionários...por aí vai um ótimo tema de um podcast sobre assédio moral.

      Excluir
    10. O príncipe da Suécia é 1/4 brasileiro.

      Excluir
    11. 19:12-A Inglaterra não é uma ilha feia!!!!!!!!!

      Excluir
  2. PQP, que POHA - literalmente - é essa, que nojo, é homofobia se eu disser que é RUIM que vou ver esse filme ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você CONFUNDIU COM O BBB,rapaz.A Carey
      Mulligan É MARAVILHOSA em todos os sentidos.

      Excluir
  3. Tony, adoro seus posts leio todos, mas suas resenhas sempre entregam muito do filme; se eu tivesse lido antes de ver o filme teria perdido metade da graça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 14:18 Comigo foi o contrário. Me despertou interesse. Eu amo spolier. Pode me contar o filme todo que eu vou amar saber, sempre.
      A coisa que me tira do sério é a pessoa ficar contando o filme no momento que eu estou assistindo. Mas antes? Pode me contar os mínimos detalhes. Eu não ligo.

      Excluir
    2. Spoiler é uma das coisas mais chatas,senão
      a mais chata.kkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  4. O ator principal é meio feinho, mas tem um pau e uma bunda linda!

    ResponderExcluir
  5. E a Carey Mulligan,então........ela é linda
    em todos os sentidos!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Meo Deos! Acho que sou o único que acha o Barry Keoghan bonito, os olhos dele é uma das coisas mais lindas do cinema, empatando com Bette Davis e Charlotte Rampling.

    ResponderExcluir
  7. Jacob fez Euphoria. É belo e trabalha direito.

    ResponderExcluir