segunda-feira, 18 de dezembro de 2023

EN CONTRA

Os chilenos gostam de dizer "não" nos plebiscitos. Foi assim em 1988, quando o ditador Pinochet quis saber se poderia ficar para sempre no poder. Foi assim no ano passado, quando uma constituição indentitária demais ainda sofreu uma forte campanha negativa de fake news. E, felizmente, foi assim este ano, quando uma nova carta elaborada pela extrema direita também foi rejeitada nas urnas. Entre outras barbaridades, queriam proibir o aborto em qualquer caso, sem exceções. Esse novo "rechazo" meu deu um certo alívio: eu temia que o próximo presidente fosse um neofascista, já que Gabriel Boric, além de não poder ser reeleito, não tem popularidade para fazer seu sucesso. Mas o perigo continua: cerca de metade das gerações mais velhas adoraria um novo Pinochet, e as mais novas não fazem ideia do horror que é uma ditadura.

7 comentários:

  1. O final do post demonstra a importância de sempre repisar a história.

    ResponderExcluir
  2. O mais RISÍVEL desse plebiscito de ontem é ver a esquerda COMEMORAR a manutenção da Constituição do PINOCHET, de 1980 kkkkkkkkkkkkkkkkkk Viva a Constituição do PINOCHET, bradou a imprensa esquerdista ! kkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A esquerda não comemorou a manutenção da
      Constituição chilena.SAIA DO ARMÁRIO,CARLUXO.
      SAIA DO ARMÁRIO EM NOME DE JISUIS!!!!!!!!!!!!!!!!!!
      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

      Excluir
    2. 21:47-O presidente do Chile foi na posse do ídolo
      do 20:06,o Milei.kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    3. E a ESQUERDALHA latino-americana BRADA entusiasticamente: VIVA LA CONSTITUCION DE PINOCHET ! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    4. E A DIREITALHA FAZ FAKE NEWS SOBRE A
      CONSTITUIÇÃO DO ÍDOLO DO 02:02,O
      JENERAL PINOCHET.KKKKKKKKKKKKKKKK

      Excluir
    5. De onde que esses minions tiraram que a esquerda "bradou entusiasticamente"? Do próprio cu, claro. Gente como Michelle Bachelet disse que preferia votar no ruim do que no péssimo.

      Excluir