quarta-feira, 22 de novembro de 2023

O FIM E O COMEÇO

Comecei a ver "Fim" só na semana passada, quase um mês depois dos primeiros episódios chegarem ao Globoplay. Hoje chegaram os dois últimos, já devidamente devorados. Li o livro de Fernanda Torres há exatos 10 anos, e me lembro vividamente de algumas cenas. De outras, não, o que me ajudou a aproveitar a minissérie como se eu não soubesse o que iria acontecer. Trata-se simplesmente do melhor produto da televisão brasileira em 2023, um ano em que os canais abertos pararam de inovar. Em "Fim", tudo funciona: o texto escrito pela própria Fernandinha, a direção de arte que atravessa várias épocas, a iluminação, a direção e, claro, os atores. Que atores. Todo mundo está bem, mas, para mim, dois se destacam: Bruno Mazzeo, que faz o mais cafajeste dos cinco amigos, e a divina Marjorie Estiano, a melhor de sua geração, como a complexa e sofrida Ruth. No fundo, "Fim" é uma meditação sobre o fim do patriarcado, vítima de si mesmo. Os protagonistas são homens que tinham tudo para ser plenamente felizes, mas não o foram porque se deixaram dominar pelas regras machistas. Ah, que saudade de 2013, quando realmente parecia que o domínio masculino sobre o mundo estava com os dias contados. A onda de extrema direita que ainda nos aflige, nada mais do que uma reação ao avanço dos direitos de mulheres, negros, gays e outros oprimidos, ainda nem havia começado.

16 comentários:

  1. Ai Tony. Justamente hoje eu refleti sobre isso. Eu sou um homem de quarenta anos que tinha tudo para ser plenamente feliz, mas por causa de regras que eu não sabia, lá atrás, como superar ou não tinha no momento ferramentas para quebrar, vim parar em uma situação onde os fios da minha vida estão todos emaranhados, do pessoal ao profissional. Hoje foi um dia daqueles que me sentei na soleira porta e disse pra mim mesmo: que bosta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A vida são vários capítulos de uma série que não tem fim…vc só está em um capítulo ruim…
      Logo passa…

      Excluir
    2. Que comentário sincero. :) Queridão, pensa que você tá melhor do que muita gente: você entendeu que não tá feliz e quer mudar. Agora é terapia e partiu mudar as coisas entrar em acordo com o você quer.

      Excluir
  2. Ah o elenco cinquentão se passando por novinhos de 18 anos não me desceu nem com computação gráfica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este elenco cinquentão merece respeito!!!!!!!!

      Excluir
    2. Discordo. A caracterização dos personagens nas pasadas se tempo foi muito bem feita.

      Excluir
  3. O Mio Babbino Caro
    Fazer o que se na hora de contribuir de certa forma para a consolidação desse momento, "quando parecia que o domínio masculino sobre o mundo estava com os dias contados". Muitos de nós mesmos optaram por apoiar um bando de cafajestes que pediram sem motivo justificável algum a deposição de uma mulher do poder. Não adianta agora fazer análises pseudo racionais. Covardia, Egoísmo e Má-fé, costumam cobrar um preço bastante alto.

    ResponderExcluir
  4. Coisa triste é ver um adulto jogar a culpa dos seus fracassos no "patriarcado", "capitalismo", "extrema-direita" e outras baboseiras. Assuma suas responsabilidades. Cada um é responsável pelos seus erros e acertos. Pare de se vitimizar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 06:56-Pare de bancar o bozista.O 02:27 Babbino
      Caro tem toda a razão e estou com ele.

      Excluir
    2. Esse cara é um exemplo escarrado do modus operandi da extrema direita. Não tem solidariedade por ninguém. Nega a existência de coisas óbvias, como o patriarcado. E ainda diz que uma pessoa em apuros está se fazendo de vítima.

      Excluir
  5. TEM ALGUM PERSONAGEM GAY?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá! Vai estar servindo sim, senhor!

      Excluir
    2. É porque o Itamaraty veio para Brasília, né, Tony? E a Fernandinha ficou vazia de referências nesse ponto. Mas, na vida real, o cocainômano diplomata também seria Bi...

      Excluir
  6. Ah, que saudade de 2013, quando realmente parecia que o domínio masculino sobre o mundo estava com os dias contados. - tony dando munição para extrema direita que crê realmente que negros e mulheres terem direitos é para dominar e afligir o homem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah,o homem branco hetero tem pavor que negros
      e mulheres tenham direitos.Lembram que os Red
      Pills surtaram com o filme da Barbie?Pois é......

      Excluir