domingo, 12 de novembro de 2023

INCOMPETÊNCIA MATA

"O Assassino" se propõe a uma missão impossível: fazer com que o espectador torça por um sujeito totalmente desprovido de caráter, empatia ou solidariedade, e, ainda por cima, incompetente. O sicário sem nome vivido por Michael Fassbender se acha o fodão do bairro Peixoto, e sua monótona locução em off durante quase todo o filme repete suas regras de vida, como se ele fosse um ser superior. Não é: é uma merda de ser humano, que mata por dinheiro gente que ele nem conhece. Sua carreira vai de vento em popa até que ele comete um erro indgino até de um estagiário. Mira na vítima e não espera que outra pessoa saia da frente antes de disparar o gatilho. Aí o cara passa o resto do filme querendo provar que ele é mesmo um fodão, eliminando todas as pessoas que têm a ver com este seu último contrato e que deram um esculacho daqueles em sua namorada. Sophie Charlotte faz esta moça, que tem apenas duas cenas: numa, ela está no hospital totalmente desfigurada, e na outra, não fala nada. Quem se destaca nessa bobajada é a divina Tilda Swinton, que também faz uma assassina profissional, porém muito mais interessante do que a iguana que a persegue. "O Assassino" é uma sequência de cenas de vingança, e não há um plot twist nem nada vagamente surpreendente. O filme só não é pior porque é de David Fincher, mas não há cineasta competente que salve um roteiro ruim.

3 comentários:

  1. A Isabela Boscov disse que é uma obra-prima. Devo acreditar em quem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ha! Com certeza no Tony! Seven é um filme muito legal

      Excluir
  2. Sabe quando você está todo empolgado para assistir o filme (é David Fincher, pô) e logo mais está querendo que o filme termine logo porque não aguenta mais a ladainha do protagonista?

    ResponderExcluir