quinta-feira, 12 de outubro de 2023

VOCÊ PRECISA SABER DA PISCINA

Qualquer obra que trate de Gal Costa enfrenta um problema logo de cara. A vida da cantora não teve lances dramáticos, reviravoltas inesperadas nem voltas por cima. Gal chegou cedo ao topo e lá ficou. Talvez seus anos mais difíceis tenham sido os últimos, quando azedou a relação com Wilma Petrillo, mas ainda não sabemos ao certo. Mesmo assim, "Meu Nome É Gal" acerta ao focar os primeiros anos de sua trajetória brilhante e sua metamorfose de garota tímida da Bahia em musa do tropicalismo, que cantava sentada de pernas abertas em plena ditadura militar. Sophie Charlotte, que teve seu nome aprovado pela própria Gal, está ótima no papel, e se atreve a cantar com sua própria voz em vários momentos, sem que soe um sacrilégio como o "tributo" que Marina Sena tentou fazer no The Town. Mas, no filme todo, há apenas dois momentos de shows, duas gravações em estúdio e um teste. O resto do tempo é ocupado por Gal, Caetano, Gil, Dedé e a turma toda bebendo e fumando, primeiro no lendário Solar da Fossa, no Rio, e depois num apartamento na avenida São Luís, em São Paulo. Gal fica encucada, chora, sente saudades e raiva da mãe, mas nunca põe para fora o que sente por dentro. A codiretora Dandara Ferreira disse, numa entrevista, que é mesmo difícil filmar a mudança interna de um personagem. "Meu Nome É Gal" parece perder energia na segunda metade, e faz falta uma cena arrebatadora, catártica, que empolgue a plateia. Em vez disso, temos uma homenagem póstuma à diva, que se foi sem ter visto sua cinebiografia. Que é bem boa, vale ressaltar, e merece ser vista. Mas, ao contrário de sua protagonista, "Meu Nome É Gal" nunca sai do casulo.

23 comentários:

  1. O Mio Babbino Caro
    Não sei se vou ver essa obra. Adoro Baby, Tuareg e realmente, lembro-me de um amigo, músico que trabalhou com ela e dizia: "Todos a amam" e não sobrava mais nada a dizer...Talvez os lances dramáticos tenham sido todos sublimados e sepultados na nossa fria São Paulo. Até que venha uma obra que confirme a terrível reportagem da Piauí e aborde, ao menos tanto fel à Marina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SP não é fria coisa nenhuma.O Hell de Janeiro
      virou a nossa Faixa de Gaza.Por isso,Gal se
      mudou pra Paulicéia Desvairada.

      Excluir
    2. 12:25 Rapaz deixa de bobagem,apesar de toda tragédia o Rio é ainda mais pulsante que São Paulo, e eu sou Paulista da Gema, como dizia Papai.
      Esse fato não desmerece São Paulo, é uma outra beleza.
      Melhore!!!
      Quem concordar comigo da um joinha rsss

      Excluir
    3. O Rio é mais pulsante porque tem praia e
      Projac?SP,Nova York,Londres e Paris não
      tem praia,mas são muito pulsantes.Melhore
      você,tio!!!!!!!kkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    4. 23:11 Como agora o Dono do Blog também é um 'idoso', a bonequinha travada vem com eufemismo de "TIO" para tentar atacar usando um etarismo ridículo. Conclusão: Tem que melhorar mesmo e cale a boca.
      ( Não terá mais privilégio de minhas respostas rsrs)

      Excluir
    5. 07:52-Quem manda calar a boca,geralmente,
      é tio reaça que é ou milico ou evanjegue,na
      maioria dos casos.Não são progressistas.
      E vai usar palavra que termina com "ismo" pra
      tua avó.kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  2. (Diga-nos sobre a morte da Prima de Cássia Eller a Ex-Lésbica, Bolsonarista e o horror que esses pequenos demônios como Nikolas Ferreira, vem causando em seres humanos)

    ResponderExcluir
  3. Vi o filme ontem engenho a mesma opinião, Tony. Gal mereceria algo maior, do tamanho de sua grandeza. Nos , os fãs, gostamos, claro, mas faltou muita coisa. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 18:34-Tenha dó:este filme vai concorrer
      a muitos prêmios do cinema nacional,
      com certeza.

      Excluir
  4. Sophie Charlotte é encantadora, estudiosa, elegante e dedicada. Lindinha e tal. Mas superestimada como atriz. Gal merecia outro tipo de potência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai assistir a série Passaporte Para a Liberdade
      que ela fez,bebê.Só os nazistas não gostaram.
      kkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    2. 19:32 estamos fracos de talento o fim da rede bobo só vai piorar tudo isso, a profissão de ator virou piada e o pior: nunca fui em uma peça em SP que não tivesse lotada o povo brasileiro ADORA a cultura existe muito potencial pra isso mas a gente sabe que quem nos governa odeia tem medo da cultura.

      Excluir
    3. 11:21-Onde você tirou que a Globo vai
      acabar,baby......acorda.kkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    4. 14:07?? vai acabar??? já acabou!!! mesmo falidos demitindo meio mundo e ainda existindo eles não tem mais relevancia nenhuma os jovens não assistem, os velhos não assistem, ninguém mais leva a sério...

      Excluir
    5. 11:33-Você falou sobre o SBT,a Record
      e a Rede TV.kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    6. 11:33-Só a Globo dá emprego pra atores gays.
      Os outros canais dão emprego pra homofóbicos
      que puxam o saco de crentes e de Israel.kkkkkkk

      Excluir
    7. 12:43 quando eu era criança ado todo mundo assistia a rede globo, minha mae uma mulher doente so fazia isso. Mas já adolescente eu passei a odiar pela manipulação barata que eles faziam no país, sempre fui rebelde, são inimigos do Brasil defendem os interesses dos EUA que sempre foram seus financiadores, time warner lembra? Como vc acha que eles sempre tiveram tanto mais dinheiro que as outras emissoras? MASSS já falei aqui no Blog ninguém pode reclamar da maneira como eles tratam os funcionarios da tia do cafezinho as estrelas gay, fora que sempre teve muita gente talentosa trabalhando lá até no jornalismo, e os proprios chefoes tipo o Boninho parecem muito gente boa.

      Excluir
    8. 17:06-Essa revoltinha de adolescente de DCE
      sobre a Globo só favoreceu o pessoal que usa
      canais de TV pra fazer loteria e pra comprar/
      vender horário pra igrejas evanjegues.A Gal
      ficou famosa por causa da Globo,sabia?kkkkkkk

      Excluir
  5. Acho essa atriz talentosa, mas ela não se parece em
    Nada com a Gal!

    ResponderExcluir
  6. vivemos numa epoca tao dificil, vigilancia em massa, controle social, destruição da educação, empobrecimento achatamento etc saudades dos anos 60 quando as pessoas eram livres pra criar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O golpe militar aconteceu nos anos 60
      e o AI-5,também.Nada a ver!!!!!!!!!!

      Excluir
    2. 14:09 até os anos 70 existia repressão mas nem tanto a coisa só foi piorando.e as estratégias de alienação ficando piores.

      Excluir