sábado, 21 de outubro de 2023

ARGENTINA, DECIME QUÉ SE SIENTE

Sempre achei que o trauma dos argentinos com sua última ditadura militar, muito mais sanguinária que a brasileira, teria vacinado-os contra qualquer coisa que cheirasse a extrema-direita. Mas há 40 anos que dois partidos se alternam no poder, os peronistas e os radicais, e nenhum dá conta do imbroglio econômico do país. É natural que a população esteja de saco cheio e queira chutar o pau da barraca. Meu grande medo agora é que Javier Milei seja eleito já no primeiro turno, amanhã. Não sou só eu: veja só o vídeo acima, comparando o maluco ultraliberal como Edaír. Antigamente, as coisas aconteciam primeiro lá, e depois se repetiu no Brasil. O fenômeno foi apelidado de "efeito Orloff": num comercial daquela marca de vodka, um sujeito encontrava com si mesmo, que dizia "eu sou você amanhã". Parece que o jogo virou, não é mesmo?

7 comentários:

  1. E ainda tem Biden pavimentando o caminho para o retorno triunfal de Trump nos EUA. Apertem os cintos, os próximos anos prometem.

    ResponderExcluir
  2. Excelente mensagem neste comercial forte. Vamos ver o que acontece.

    ResponderExcluir
  3. Argentina anda tão ruim que até na onda da direita estúpida ela está defasada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 21:32-Não é bem assim.Ela sempre existiu como
      aqui no Brasil,também.Com outros nomes,claro.

      Excluir
  4. Ele parece com aqueles tipos de personagens de filmes deles, tipo O Clã. Branco com cara de pobre, exercendo psicopatia e achando que tá tomando uma xícara de chá.

    ResponderExcluir