quarta-feira, 13 de setembro de 2023

WHEN YOU CALL MY NAME

Em 1989, Madonna gravou um comercial para a Pepsi. Com uma mecha branca à la Morticia Addams, a cantora aproveitou para lançar "Like a Prayer", num filme que evocava a letra da música: as memórias de Madge de sua falecida mãe. O anúncio ficou  pouco tempo no ar, pois logo em seguida saiu o clipe oficial de "Like a Prayer", com cruzes em chamas e beijos num santo negro. Com medo de que os fanáticos religiosos não soubessem diferenciar o vídeo da propaganda (essa turma não é das mais brilhantes), a Pepsi cancelou a campanha, mesmo já tendo gasto alguns milhões de dólares. Trinta e quatro anos depois, a marca saúda a própria ousadia, por "sacudir o status quo". Quanta hipocrisia... Pelo menos Madonna se sentiu vingada, e isto é o que vale.

30 comentários:

  1. Foi a união da maior com a melhor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 14:01 Por favor, especifique quem é quem nessa afirmação.

      Excluir
    2. 15:14-Madonna e Pepsi,pela ordem.

      Excluir
  2. Mas eles sacudiram o status quo, só que por alguns segundos.

    ResponderExcluir
  3. Olha, mas até ela deu uma amarelada e deu uma amenizada no final encerrando o negócio fingindo era era tudo só uma peça de teatro...

    ResponderExcluir
  4. Dúvido muito que a pessoa que cuida do marketing da Pepsi hoje é a mesma de 34 anos atrás. Assim deduzo que a pessoa que está no cargo hoje, que provavelmente nem era gente nessa época, tropeçou nesse vídeo por acaso e achou mesmo que a Pepsi tinha apoiado a música polêmica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 15:17-Era gente,sim.Os donos de agências
      de publicidade tem mais de 50 anos.E a
      Pepsi é a anti-Coca-Cola,desde sempre.

      Excluir
    2. Se a pessoa estiver com 60 anos hoje, ela tinha 26 nessa época, logo não era gente. Hahaha.

      Excluir
    3. 20:47-Era gente,sim,cara.Melhor que os
      velhos generais bozistas de hoje.kkkkkk

      Excluir
  5. A Pepsi também cancelou o patrocínio da turnê (que viria a ser a Blonde Ambition). Madonna nunca mais perdeu a chance de aparecer bebendo Coca-cola.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mais fácil o Otário de Carvalho aparecer
      que esta coluna falar daquele show dos
      100 anos do Copacabana Palace com o
      DJ Alok-foi um desastre.Assim como o
      RJ,em todos os sentidos.

      Excluir
    2. Eu não costumo comentar sobre eventos a que não compareci. No caso do show do Alok, então, de lá viria se lá estivesse. Foi mesmo um desastre.

      Excluir
    3. Hahahaha "assim como o RJ"... repetindo estereótipos. Impressionante como se naturalizou uma xenofobia contra o Rio de Janeiro. Cidade com o maior patrimônio cultural do Brasil e calçadas largas (coisa que a cidadona não tem).

      Excluir
    4. Quem é a cidadona para você?
      Aqui onde vivo, cidadona é o próprio Rio.

      Excluir
    5. João,o RJ não é mais a capital do Brasil
      desde 1960.O título de capital cultural
      perdeu pra SP-hoje,ela está entregue a
      milicianos e evanjegues(o Mijair e o
      Silas Malacheia fizeram carreira aí)e,nem
      consegue fazer um show decente em
      homenagem ao Copa.Como disse o
      Tony,foi mesmo um desastre.

      Excluir
    6. 20:48-Pior,o Carluxo é vereador no RJ e o
      Flavinho do Chocolate é senador pelo RJ.
      O Bananinha só não é deputado pelo RJ
      porque não quis.kkkkkkkkkk

      Excluir
    7. Claro que não foi entregue a São Paulo...você tá pensando em um nicho específico tipo teatro e musicais. Estou falando de cultura material mesmo, de produção audiovisual dentre outras coisas. Do repositório vivo disso tudo.

      A família Bolsonaro começou em São Paulo, acorda. O defunto é paulista do interior.

      Não tem nada mais provinciano que falar mal de outras pessoas de outras cidades. Nova York: nunca serão.

      Excluir
    8. A família Bolsonaro é paulista-mas,ela
      prefere ser do RJ por que nesta cidade
      tem muitos milicos,funcionários públicos
      barnabés e evangélicos.O RJ já teve um
      prefeito e um senador evanjegues.

      Não é só de teatro e musicais que vive
      SP:também vive de museus,Parada Gay,
      Fórmula 1,Mostra Internacional de
      Cinema e a Virada Cultural.Só perde pro
      RJ em Jóquei Clube,isso é inegável.
      E tem muitas produções audiovisuais
      feitas em SP,pelo streaming-menos as
      novelas crentes da Record(felizmente).

      Falar mal de um lugar de onde veio o
      Trocísio de Freitas é utilidade pública,J.

      Excluir
    9. Cara, desculpa, mas falta muita cultura nessa sua mensagem. Nem vou discutir, porque se listar 200 músicos brasileiros de qualidade, São Paulo tem pouquíssimos. Essa ideia de que paulistano trabalha mais é uma imbecilidade sem tamanho. Como se a cidade não fosse feita por pessoas do Brasil todo. Como se tivesse um pedigree mais alto. É bizarro. Valorize o povo do Nordeste que construiu essa cidade.

      Sabia que em São Paulo os prédios não precisam ter cessão do recuo frontal? No Rio todo prédio há uns 40 anos precisa abrir a calçada para o público, duplicando ou triplicando a calçada que existia antes. Veja os tamanhos das calçadas em São Paulo. São inexistentes. A legislação municipal é burra. Aprenda com outros lugares, tipo Curitiba.

      Excluir
    10. João, para que tá ficando feio. Você está passando atestado de ignorância e preconceito.

      São Paulo sempre teve uma cena musical riquíssima, e o que não falta por aqui são grandes talentos da música, nos mais variados estilos. Terra de Rita Lee, já ouviu falar? De Adoniran Barbosa, dos Titãs, dos Racionais MC, da Monica Salmaso, do César Camargo Mariano, da Maria Rita...

      Ah, e sabia que estão discutindo o fim do recuo obrigatório aqui em SP (sim, ele existe, você que não sabia)? Cidades como Paris e Barcelona não tem prédios recuados, e funcionam muito bem.

      Quanto ao tamanho das calcadas, não sei que região paulistana você anda frequentando. As da Avenida Paulista são imensas, as do centro também...

      Excluir
    11. Barcelona e Paris têm prédios mais baixos. Calçada da Avenida Paulista é exceção e, infelizmente, o Centro tão lindo foi deixado de lado. Quem tá passando vergonha é quem falou mal da minha cidade chamando meus conterrâneos de funcionários públicos preguiçosos. Seja menos parcial e condene quem agride

      Qualquer regra de recuo frontal não adianta nesse ponto já que a cidade está bem ocupada. Tinham que ter feito em 1960.

      Excluir
    12. O recuo obrigatório em São Paulo não gera cessão da área frontal pra área pública. O que se criou foram jardins privativos. Bem diferente das calçadas largas e com fachada ativa de muitas outras cidades.

      Excluir
    13. Mas tudo bem, a gente ama São Paulo...todo mundo sabe disso! O problema é que se naturalizou detonar o Rio. Beijos de luz!

      Excluir
    14. João,o RJ,infelizmente é conhecido por
      ser a capital do cabide de emprego,mais
      do que o DF.E eu adorei a resposta do
      Tony pra ti-aprendi com ele a valorizar o
      Copacabana Palace,e,como resposta ele
      listou tudo que há de melhor na cidade
      onde nasci.Beijos de luz,TG.

      Excluir
    15. kkkKkk viajando na maionese...

      Excluir
    16. 21:51-kkkkkkkk......Só se for a
      Anitta,Joãozinho.

      Excluir
  6. Em compensação tivemos Britney e cia naquele comercial babado uns 10 anos depois disso. Dos gladiadores. Amava aquilo.

    ResponderExcluir
  7. Mas quem é que bebe Pepsi quando há Coca-Cola?

    Só alguém com um gosto muito avariado ou sem gosto nenhum

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existem várias marcas de refrigerantes
      de cola,além da Coca-a mais conhecida.
      A Pepsi é rival da Coca,desde sempre.

      Excluir
    2. Coca-cola nos EUA é feita com xarope de milho (e não açúcar). Então é menos gostosa que a nossa coca. Aliás, é modinha comprar coca mexicana lá, porque também é feita com açúcar. Além disso, boa parte das vendas vem de máquinas tipo McDonald's. O sabor entre as duas acaba sendo parecido.

      Excluir