terça-feira, 26 de setembro de 2023

MEDEIA NEGRA

"Saint Omer" foi premiado no Festival de Veneza do ano passado, ganhou o César de melhor filme de estreia e representou a França no último Oscar. Mesmo com esse currículo, não entrou em cartaz no Brasil. Talvez porque o assunto seja mesmo espinhoso: uma imigrante africana, réu confessa, é julgada pelo assassinato de sua filha de 15 meses. O longa de Alice Diop finalmente estreou no Telecine Cult, e eu consegui vê-lo. De fato, é uma experiência incômoda, mas fascinante. A ação se passa quase toda dentro de um tribunal, com depoimentos em tempo real diante da câmera imóvel. Mas vários clichês são quebrados pelo caminho. A acusada não é uma pobre coitada analfabeta, mas uma mulher culta, vinda de uma infância confortável. E a verdadeira protagonista é uma escritora, também negra, que assiste ao julgamento tomando notas para um ensaio sobre o mito grego de Medeia. Só que ela também se surpreende, e se sente atingida em pontos vulneráveis. "Saint Omer", que também é o nome da cidade onde se passa a história,  fala em identidade, opressão feminina e vingança, mas não responde a todas as perguntas que faz. Mistério sempre há de pintar por aí.

8 comentários:

  1. Você vai comentar s demissão da assessora sem noção da Anielle Franco? Teve de tudo nesse evento - xenofobia, desprezo,empáfia, avião da FAB, tietagem. Isso no Ministério da Igualdade Racial.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MUUUUUUUUUUUUUU!!!!!!!!!!!!

      Excluir
    2. Ela estava certa. Desculpe.

      Excluir
    3. 20:13-Você é tcutchuca do Heleno.

      Excluir
    4. Já fiz um post sobre a demissão da Marcelle Decouthé. E acho ótimo que ela tenha sido demitida.

      Excluir
  2. Baixei no torrent no início do ano e assisti em casa. Achei excelente.

    ResponderExcluir
  3. Off-Topic:
    Boa tarde, Tony. Acabei de ler seu ótimo texto sobre o filme "O Som da Liberdade". Pela premissa do longa, parece ser uma bomba daquelas... Filme ruim e babaca, com certeza. Feito pra quem não gosta de cinema de verdade e ama filmes de super-herói. Já li por aí que a película retrata guerrilheiros comunistas pedófilos, hahaha, quanta babaquice!
    Sem mais, esse filme merece uma musiquinha que foi feita, se não me engano, em homenagem ao Magno Malta: https://www.youtube.com/watch?v=LUyQING2cG0

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu escrevi sobre o filme na minha coluna de quarta no F5:
      https://f5.folha.uol.com.br/colunistas/tonygoes/2023/09/a-quem-interessa-que-voce-veja-som-da-liberdade-de-graca.shtml

      Excluir