segunda-feira, 25 de setembro de 2023

EL EXÓTICO

Como eu me arrependo. Fui mais de 20 vezes ao México, a última há mais de três anos, e nunca me abalei para ver lucha libre ao vivo. Eu tenho horror a boxe, MMA, judô e qualquer esporte onde os praticantes realmente se machuquem, mas a lucha libre mexicana é outra coisa. É tudo combinado, é teatro da pior qualidade, é divertidíssimo. Até comprei uma máscara do Blue Demon achando que era do El Santo, mas não fui ver os caras se pegarem ao vivo. Meu pesar só aumentou, agora que eu descobri, graças ao filme "Cassandro", que existe toda uma categoria de luchadores chamados de "exóticos". São, na verdade, drag queens corpulentas, que se submetem às vaias do público homofóbico e invariavelmente perdem todas as lutas. Tudo por dinheiro, porque alguns nem gays são. Tudo isto mudou com a chegada de Cassandro, em 1988: baixinho, bichinha e feroz, treinado por uma luchadora chamada Lady Anarquía (só no filme, aliás: o Cassandro da vida real foi treinado por outro exótico). Hoje com 53 anos de idade, Cassandro continua nos ringues, e finalmente alcança fama internacional ao ser encarnado por Gael García Bernal no bom longa que acaba de estrear na Amazon Prime Video. Nem tudo corresponde 100% à realidade, mas a mensagem de tolerância e diversidade transmitida por Cassandro foi e continua verdadeira. Nem que seja na base da porrada.

19 comentários:

  1. Tony, acha que Gael Garcia tem chances nas próximas premiações? Acho que já passou do tempo dele levantar uma estatueta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem pode ganhar o prêmio de Mico do
      Ano foi o Zelensky.Não aplaudiu o Lula na
      ONU mas,aplaudiu um nazista no Canadá.
      Parece uma esquete do SNL-no bom sentido,
      claro!!!!!!!

      Excluir
    2. Ele merecia ser indicado, mas o filme é pequeno, saiu em setembro direto no streaming e a concorrência é fortíssima este ano. Tem Cillian Murphy, Bradley Cooper, Leonardo Di Caprio...

      Excluir
  2. SÓ ACHEI TRISTE QUE O FILME DA A ENTENDER QUE ELE NAO FOI FELIZ NO AMOR, POREM SE ELE TEM 53 ANOS, AINDA DA TEMPO DE CORRER ATRAS!

    ResponderExcluir
  3. Depois de Mozart in the Jungle, não assisti mais nada na Amazon. Por mim, deviam baratear o prime e encerrar esse streaming sem sal deles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então você não conhece The Marvelous Mrs.
      Maisel e The Boys,por exemplo.Melhores que
      quaisquer novelinhas da TV brasileira.

      Excluir
    2. Meus três filmes favoritos de 2022 estão na Amazon: "tudo ao Mesmo Tempo em Todo Lugar", "Triângulo da Tristeza" e "Argentina 1985".

      Excluir
  4. Tony, fora de contexto, mas uma curiosidade minha.

    Sempre te achei com uma vibe meio certinho, careta, e fico imaginando como era você nas festas cheias de gente das artes, famosos etc. Você era meio porra louca igual a galera da sua época? Como era sua relação com bebida e drogas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que ele não vai responder
      a tua pergunta.....

      Excluir
    2. 00:35 Que mona abusada...

      Excluir
    3. Tá tudo na cara dele é só olhar e ver. Não precisa o cara vir aqui e "confessar",. Pedido mais sem noção, esse.
      G-

      Excluir
    4. Vou responder sim. Eu nunca fui viciado em nada. Fui abençoado com uma química cerebral que evita que eu me torne um adicto. Experimentei maconha tarde e não gostei. Não gosto até hoje, não me dá barato. Mais tarde fui apresentado à cocaína e, a princípio, não gostei. Depois comecei a gostar, como um aditivo pré-balada. Hoje faz tempo que eu não cheiro... Mas a minha droga favorita é o ecstasy. Virei baladeiro depois dos 40, e durante uns bons cinco anos tomei bala quase todo sábado, nas boates. Aí veio a idade, a pandemia, a preguiça, e hoje em dia não tenho tomado mais nada. Mas sou favorável à descriminalização de todas as drogas. Todas.

      Excluir
  5. Eu falo numa boa a respeito das minhas experiências da juventude, seja com drogas, sexo etc.

    Se vocês acham esses assuntos tabu, só lamento pela pudiquez

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem fala "numa boa" quer é lacrar.
      E lacração com a vida privada é cafona uó.

      Excluir
    2. anonimo de 4:16 quem fala lacrar é bolsonarista , ou seja, um bos4ta

      Excluir
  6. Eu consegui ingressos para luta greco romana em 2016 nas Olimpíadas do Rio. Metade da platéia masculina era gay. Sem dúvida, o esporte de mais elevada carga homoerotica.

    ResponderExcluir
  7. Tony, você pretende ver aquele filme de crente americano conspiracionista?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele já escreveu sobre o filme na Folha.
      Achou uma porcaria-e é,mesmo.

      Excluir
    2. Hahaha, eu não vi o filme e nem pretendo ver. Mas sei o suficiente para ter escrito sobre a distribuição gratuita de ingressos, e o que está por trás dela.

      Excluir