segunda-feira, 11 de setembro de 2023

A MEGERA INDOMÁVEL

Já assisti a cinco iterações de "A Megera Domada". Três montagens diferentes da peça de Shakespeare, um espetáculo de balé e agora, também ao musical "Kiss Me Kate", um clássico da Broadway em cartaz em São Paulo. As músicas são de ninguém menos do que Cole Porter e incluem a maravilhosa "So in Love", cuja versão definitiva é a de k. d. lang. A produção brasileira é luxuosa. Tem 22 atores no palco, figurinos deslumbrantes, cenários funcionais e muitos momentos engraçados. Pudera: no papel principal está Miguel Falabella que, além de ter a plateia no bolso, como de costume, está cantando melhor do que nunca. Alessandra Verney e todo o elenco também estão fabulosos, mas quem roubas todas as cenas é Fafy Siqueira, no papel de um gângster. Pode levar sua família numa boa, que você vai gostar também. Agora, a popularidade da megera segue sendo um mistério para mim. O texto original é escancaradamente antifeminista, pregando a submissão total da mulher ao marido. "Kiss Me Kate" tenta suavizar essa mensagem reacionária, assim como outras versões que eu já vi, mas não adianta passar pano. Porque este libelo machista continua sendo montado no mundo inteiro?

4 comentários:

  1. Ih. Esse final do seu texto é coisa do Twitter, digo, X.

    ResponderExcluir
  2. Porque as músicas são de ninguém menos que Cole Porter.

    ResponderExcluir
  3. Por que é um clássico!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Eu detestei essa montagem brasileira e achei a produção super pobre. Incrível mesmo é o musical "Uma linda mulher" recém estreado por aqui.

    ResponderExcluir