quarta-feira, 30 de agosto de 2023

TINTIN NO PAÍS DA MEMÓRIA

Desde que minha mãe morreu, estamos esvaziando aos poucos o quarto dela. Encontramos caixas cheias de fotos, algumas velhas conhecidas, outras que eu nunca tinha visto antes. Esse mergulho no passado me deu vontade também de me refugiar num universo familiar, que eu não visitava há algum tempo. Falo muito de Tintin aqui no blog e nas redes sociais, mas fazia décadas que eu não relia uma de suas 24 aventuras. Comecei por uma das tardias, "Voo 714 para Sydney", e me maravilhei como o roteiro é bem construído. Toda a ação se passa em menos de 24 horas. Depois me desapontei um pouco com "Perdidos no Mar", que me pareceu irregular, e muito com "Tintin no País do Ouro Negro", uma confusão meio mal costurada, com muitos diálogos, pouca ação e nenhuma motivação - por que diabos Tintin resolve ir ao Oriente Médio por conta própria, para descobrir quem está adulterando o petróleo? Aí voltei a me embevecer com "As Sete Bolas de Cristal", praticamente uma história de terror, com múmias sinistras e pesadelos simultâneos. É curioso revisitar como adulto os álbuns que marcaram minha infância e adolescência. São tão detalhados, tão bem urdidos, com uma visão tão cosmopolita, que me ajudaram a me tornar esta pessoa sensacional que eu sou hoje, hahaha.

12 comentários:

  1. 😂😂😂 rindo alto com o final.
    Esse Tony...

    ResponderExcluir
  2. Se é pra ficar como você, eu vou agora pra banca mais próxima!

    ResponderExcluir
  3. Eu gosto dele, menos daquele do Congo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tintin passou na TV Cultura nos anos
      90-porque Tintin.....é cultura.

      Excluir
    2. "Tintin no Congo" (ou na África, na má tradução brasileira) é um retrato da época em que foi feito, o começo dos anos 30. É ostensivamente racista, colonialista e antiecológico (Tintin mata UM MONTE de bichos). Também não há muito plot. É interessante ver como personagem evolui ao longo dos anos, com histórias cada vez mais sofisticadas, e uma consciência social muito mais alinhada com a do nosso tempo.

      Excluir
    3. 14:47-Hoje,NENHUM quadrinho chega
      perto desta história do Tintin-sem falar
      na obra inteira do personagem belga.

      Excluir
    4. Já havia muita gente que contestava isso nos anos 1930, Tony, acho eu. Mas concordo, reflete os anos 1930 na Europa. Que bom que melhorou!

      Excluir
    5. João Chatão,o kagador de regras chatisticamente
      correto........vai ler a Turma da Mônica,Joãozinho.

      Excluir
  4. O Mio Babbino Caro
    Será que por esse alinhamento astro...logico que já por tantas vezes nos uniu. No momento o em que você relia "Vôo 714 para Sydney", não era o momento em que eu lia a história de Nicanor presenteando o Segundo Templo de Salomão com portas de ouro.

    ResponderExcluir
  5. Quem ajudou a formar a pessoa que sou hoje : os livros de Calvin e Haroldo.. não sei se isso é bom rsrs

    ResponderExcluir
  6. Sempre adorei Tintin, li muitas vezes. Cada livro melhor do que o outro, embora aquele da África seja ruim (e bem preconceituoso). Mas no geral é um deleite. Esse voo 714 tem um personagem memorável: o milionário que parece um mendigo!

    ResponderExcluir