sexta-feira, 11 de agosto de 2023

TAL FILHO, TAL PAI

Quando Mauro Cid foi preso pelas muitas falcatruas que cometeu enquanto ajudante de ordens do Edaír, circulou a informação de que seu pai, o supostamente ilibado general Mauro Lorena Cid, ficara muito abalado. Quando o filho depôs fardado na CPMI do 8 de janeiro, falou-se que a ideia teria partido do pai. Péssima ideia, aliás: ao invés de inspirar respeito ou mesmo medo, a farda só sinalizou que o Exército como um todo está mancomunado com os planos maléficos do Bozo, do golpe de Estado ao assalto aos cofres públicos. Hoje descobriram que Mauro pai é tão bandido quanto Mauro filho. Foi ele quem cuidou da venda, em Miami, de relógios no valor de 68 mil dólares. Não tem nada de militar honrado: é um camelô de luxo, um reles muambeiro, para não dizer um ladrão. E, além de tudo, burro pra caceta. Mauro pai fotografou uma caixa de joias, e seu reflexo saiu na foto, facilitando o trabalho da Polícia Federal. O proverbial batom na cueca... Cana nele, e em toda essa cambada, já.

2 comentários:

  1. O Mio Babbino Caro
    Mais uma que "devemos" ao Jair. Ter revelado o grau de sordidez dentro das forças armadas.

    ResponderExcluir
  2. Tony querido em um desses posts anteriores,não lembro qual exatamente, vc perguntou o que será que os sauditas queriam em troca quando davam várias jóias para o ´´Edair´´,pois bem aqui está a resposta,
    https://www.em.com.br/app/noticia/politica/2023/03/06/interna_politica,1465100/relembre-a-refinaria-vendida-pelo-governo-bolsonaro-a-empresa-arabe.shtml

    https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2023/03/09/joias-venda-refinaria-petrobras-investigacao.htm

    Uma refinaria da tão polêmica Petrobras.

    ResponderExcluir