segunda-feira, 14 de agosto de 2023

ENVELHECER RINDO

"Intimidade Indecente" estreou há quase 10 anos, como um "star vehicle" para Eliane Giardini e Marcos Caruso. Os atores queriam capitalizar o sucesso de Muricy e Leleco, de "Avenida Brasil", e encomendaram uma peça para Leilah Assumpção. A trama tem alguns elementos dos personagens da dupla na novela: um casal junto há décadas que se separa, mas não muito. Eu finalmente fui ver essa comédia no sábado passado, e ri à pampa. O ritmo é digno das melhores sitcoms americanas, pois não faltam "one liners", aquele tiroteio de piadas curtas que fez a glória de "Friends" e "Seinfeld". Na boca de Caruso e Giardini, então, é covardia. Eles já fariam você rir de qualquer jeito; com um texto bom na boca, são dois mísseis nucleares. Mas "Intimidade Indecente" não é só gargalhada. Entre cada um dos quatro atos há um espaço de uns 10 anos, e o casal vai envelhecendo a olhos vistos. Sem troca de figurinos, apenas com expressão corporal, os atores se transformam em velhinhos caquéticos. O espetáculo lota duas sessões seguidas, algo raríssimo nos dias de hoje, mas nem era para menos. É teatrão da mais alta qualidade, escrito por uma das nossas maiores dramaturgas e com dois imensos atores.

2 comentários:

  1. Pelo que me lembro quem fazia a peça era a Irene Ravache. A Giardini a substituiu bem depois.

    ResponderExcluir