quarta-feira, 2 de agosto de 2023

CHORA NA PIA

Eu não entendo nada de futebol feminino e nem me interesso pelo assunto, mas vou com a cara da treinadora Pia Sundhage. O jeitão seco dela me parece um antídoto para aquela coisa melada de "família" que os nossos técnicos tanto gostam. Mas, pelo jeito, Pia exagerou na secura. A seleção feminina, que desembarcou na Austrália cheia de gás e esperança, foi eliminada sem cerimônia depois de jogar feio e empatar com a Jamaica. Fico triste pela Marta, que encerrou a carreira de maneira humilhante, e mais triste ainda pela frustração da torcida. Uma vitória nessa Copa, ou mesmo uma campanha bonita, teria não só ajudado a popularizar o futebol feminino no Brasil, como avançado a pauta feminista entre nós.

7 comentários:

  1. As meninas foram usadas pela galera lacradora. Quiseram empurrar goela abaixo esse campeonato. Até ponto facultativo foi criado. Isso criou uma artificialidade e gerou grande antipatia contra as jogadoras. A identificação com o futebol feminino é uma construção, um processo. Realmente uma boa campanha geraria uma visibilidade principalmente sabendo-se que a Marta está se despedindo. A grande verdade é que o futebol feminino é chato pra carambae ninguémliga pra ele. Mal jogado, nível técnico baixíssimo e com goleiras que têm um desempenho de um menino de doze anos. Os times femininos de vôlei, basquete e handebol têm um nível técnico comparado com o masculino muito, muito maior do que o do futebol . Esses esportes são muito mais praticados pelas meninas aqui no Brasil do que o futebol. Por que ninguém defende essas modalidades?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quantos mundiais essa tal de Marta
      ganhou na vida?É pura patriotada,
      pura bajulação em cima de um timinho
      que foi vendido como se fosse a
      última bolacha do pacote.Meu esporte
      feminino é a patinação artística.

      Excluir
  2. Porque quem levanta a bandeira do futebol feminino só quer lacrar e não liga de verdade. Quem assiste são os torcedores dos grandes times (masculinos)e olhe lá. O Boticário, na última Copa, teve a cara-de-pau de liberar os funcionários para assistirem em casa. Assim, do nada...depois nem tocou mais no assunto.

    ResponderExcluir
  3. Acho que o futebol deixou de ser algo genuíno do brasileiro no feminino e masculino.

    ResponderExcluir
  4. Selfie com linguinha de fora e entrevistas que começam com "gostaria de agradecer primeiramente a Deus". É batata, não ganham mais nada. Antigamente a seleção causava pânico nos adversários . Hj não assustam nem mais seleções caribenhas.

    ResponderExcluir
  5. "Pauta Feminista", tô nem aí pra isso, a maioria das feministas odeiam homens gays.

    ResponderExcluir