segunda-feira, 31 de julho de 2023

OS AMIGOS DA ONÇA

A Arábia Saudita não está satisfeita em ser apenas uma das piores ditaduras do mundo. Ela também quer ser a Cafonalândia, a pátria do mau gosto, um lugar onde Edaír e Micheque se sintam em casa. Não há diferença cultural que justifique o horror que é essa onça de ouro ofertada ao ministro Fernando Haddad. Se ele pudesse ficar com esse troço, deveria derretê-lo imediatamente. Mas não pode; ao contrário do que pensam Micheque e Eaír, a legislação brasileira não permite que funcionários públicos recebam presentes caros de países estrangeiros. Vacinado, Haddad já devolveu o monstrengo à embaixada saudita, alertando que, se quiserem mesmo dá-lo de presente, tem que ser para o Estado brasileiro, não para uma pessoa física que trabalha no governo. E o Estado deveria por imediatamente a onça à venda. Com o dinheiro que "ganharam" via Pix, Edaír e Micheque talvez se interessem em comprar.

4 comentários:

  1. O Alckmin também devolveu uma peça. Tá vendo, Bozo? Estragou o esquema de toda a galera por pura incompetência . Ficou feliz agora?

    ResponderExcluir
  2. Como a tática de presentear não funcionou, vão partir para o plano B: chantagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembrem-se que o telefone do Jeff Bezzos foi raqueado pelo tal príncipe meses antes daquele repórter do jornal dele ser assassinado na embaixada desse país e assim como affair que o Bezos mantinha e resultou no seu divórcio ter sido "ser descoberto" pela mídia.

      Excluir
  3. Gostaria de saber porque eles investem tanto no Brasil agora, depois de amassar os EUA ao ponto de funcionários da CIA ignorarem alertas sobre 9/11 no mínimo interessante tem coisa aí não éramos a república das bananas? Eles sabem de algo que nos não sabemos

    ResponderExcluir