quinta-feira, 18 de maio de 2023

O MARKETING DA MORDAÇA

Leo Lins é um escroto. Suas piadas são ofensivas para negros, gays, mulheres, velhos, deficientes, gordos e pessoas com um mínimo de bom senso. Alguém vai dizer que ele não poupa ninguém, só que poupa: o próprio grupo ao qual pertence, o dos homens brancos cisgênero heterossexuais. Uma minoria que ainda domina boa parte do mundo, mas que vem perdendo poder. E é justamente esta perda o que move Leo Lins. Seu humor é, na verdade, um dos últimos suspiros do patriarcado. O cara nem percebe que, no fundo, o alvo de suas tiradas são ele mesmo e seus pares, cada vez mais ridículos. Leo Lins merece todo o desprezo do mundo. Mas merece que seu especial de stand-up seja retirado do YouTube? Boa pergunta. Eu faço parte de algumas das minorias que ele ataca, mas não me revolto o suficiente para querer calá-lo. Acho o precedente perigosíssimo. Hoje é a esquerda quem reclama, mas amanhã a direita pode muito bem querer censurar piadas sobre religião ou a família tradicional. Eu também defendo o direito de ofender; quem se entir ofendido, que recorra à Justiça. Mas Leo Lins mexe com escravidão, um assunto que não tem nada de engraçado, e sempre defende o ponto de vista dos privilegiados. Como lidar com isto? Bastaria ignorá-lo? Até porque esse barulho todo em torno dele vem sendo revertido como marketing pessoal. Já há algum tempo que o sujeito se vende como o humorista proibidão, aquele que não querem deixar falar. A questão é complexa e multifacetada, e eu aceito palpites. Alguém aí chegou a uma conclusão firme e convincente?

24 comentários:

  1. Não. Eu não cheguei a nenhuma conclusão. Não tenho resposta.
    Infelizmente conheço muitos 'Léo Lins' pessoalmente e alguns deles já me fizeram sentir um lixo quando me fizeram alvo de suas piadas em público ao longo da infância e adolescência, e isso deixou resíduos que perduram. O texto do Porchat me fez pensar bastante ontem sem que eu chegue a nenhuma conclusão. É um precedente perigoso sim, mas também é perigoso deixar rolar, normalizar o absurdo em nome da liberdade de expressão. Mas a máxima de que pimenta nos olhos dos outros é refresco se confirmou ontem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 11:32-Até a Praça é Nossa faz um
      humor melhor que esse Lelé Lins.

      Excluir
  2. Entendo a dubiedade da Censura, mas mano ele comete racismo ao vivo é bizarro, não dá para fechar os olhos para isso... Queria ver se ele incluísse no grupo que ele ofende Judeus e Holocausto, será que teriam essa mesma tolerância e defesa? Diriam simplesmente para ignorar-lo? Eu tenho pavor desse "humorista" e tudo que sei é contra a minha vontade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Netinho,não é censura coisa nenhuma.
      É idiotice,na maior cara de pau,mesmo.

      Excluir
  3. A extrema direita já censura sempre que pode qualquer coisa vagamente associado à sexualidade, etinia, religião e afins. Lembram um dos primeiros atos do governo Bozo, que tirou do ar a propaganda do BB que mostrava negros? Ou o escândalo que fizeram por causa da trans crucificada na parada? Então deixar esse caso passar apenas para não criar precedente não adianta nada. Os precedentes já estão aí por toda parte, e faz muito tempo. Melhor é coibir sim, e não deixar que lixos como esse cara sejam normalizados.

    ResponderExcluir
  4. "Eu também defendo o direito de ofender." Essa frase que vc usou, que foi tb a do Porchat, que é complicada.
    Porque vc quase sempre consegue tipifica-la no Direito Penal. A liberdade de expressão dá direito a cometer crime?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não dá pena que os crimes contra honra são leves e quem julga geralmente é bem parecido com o desengraçado homem branco hétero cis e burguês

      Excluir
    2. O crime só existe depois de ser cometido. O problema é querer proibir os "shows" dele antes de acontecerem.

      Excluir
    3. 18:34-Ninguém quer proibir as merdas
      dele-fazer piada de estupro não é legal.

      Excluir
  5. Eu tenho a teria de que quanto mais sociedade fala contra um movimento social (seja ele certo ou errado) mais gente o descobre e, consequentemente, mais apoio esse movimento ganha.
    O movimento gay é um exemplo disso, enquanto todo mundo fingia que gay não existia, gay realmente não existia. Só passaram a existir quando se rebelaram e um monte de gente passou a publicamente agir contra eles o que só resultou em mais visibilidade a causa.
    Outro exemplo bem claro é o Bolsonaro. Deram uma visibilidade enorme para ele com a desculpa de que estavam querendo provocar indignação e, com isso, fazer ninguém votar mais naquele deputado deerda. E todos sabemos o que isso resultou.
    Assim, acredito que a melhor solução é o completo desprezo. Desprezo ao ponto de parar de ir no twitter e ficar promovendo a pessoa postando que está indignada com ela.
    Enfim, acho que esse tipo de gente tem que ser tratada como um pernilongo. Encheu o saco, a gente dá um jeito de se livrar dele sem fuzuê ou post no twitter.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 14:32-Não dá,tiozinho.Hoje,podemos
      teclar o nome dele,se quisermos.
      Passar o pano pra isso,não dá mais.

      Excluir
  6. A partir desse post eu tive a infeliz curiosidade de olhar o Twitter desse sujeito, que até então eu nem sabia que existia. De cara eu já me deparei com um tweet com piada racista. Mas não levemente racista. Uma coisa bem explícita e nojenta mesmo. E eu que pensava que isso era crime.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E é crime, por isso a condenação por um tribunal. Tribunais não vão julgar algo que não é crime. Agora outra coisa é dar visibilidade a isso. Ele reclamou de "censura" em rede social. Só ignorar e deixar que ele resolva com a própria justiça... No momento que damos "palco" sendo a favor ou contra, a figura dele cresce.
      Nick

      Excluir
  7. O Mio Babbino Caro
    Um cara desse deve ser limado se bem que tantos brancos homossexuais são como esses cara se diferenciando somente quanto a orientação sexual.
    Quantas vezes comentei aqui que Bolsonaro e aquele coôo de marmanjos gritando mîtoi eram o vento

    ResponderExcluir
  8. O Mio Babbino Caro
    Deve ser limado.

    ResponderExcluir
  9. É impressionante a limitação intelectual de quem confunde uma piada com uma afirmação num contexto sério.

    Quando um humorista faz uma piada com a escravidão não significa que ele de fato pense que a escravidão foi algo legal e deveria voltar. Quando um comediante faz no seu show uma piada com um anão, um cego ou uma influencer obesa e a plateia ri, aquilo não é uma reunião de psicopatas que estão ali se regozijando com os alvos do seu ódio e depois sairão para extravazá-lo cometendo agressões. Quando o Rafinha Bastos disse num programa que a Wanessa Camargo estava tão gostosa grávida que ele comeria ela e o bebê, não significa que ele é um pedófilo maníaco que vai realmente estuprar um recém-nascido. Uma das características mais antigas do humor é dizer algo totalmente fora da realidade justamente para provocar o riso pelo absurdo.

    Só que infelizmente vivemos num mundo de sensibilidades extremamente frágeis, onde é necessário colocar alertas de gatilho em desde reprises de novelas até desenhos antigos do Pato Donald. Basta observarmos o amplo apoio que Will Smith ainda tem nas redes sociais por agredir o Chris Rock após aquela piadinha boba com sua mulher calva. Uma geração de pessoas "ofensíveis" que quer viver dentro de "safe spaces".

    Se você acha que a piada de um humorista está no mesmo contexto que uma séria defesa de uma posição por um político nazista ou seus simpatizantes, sinto informar, mas você é burro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 19:04-Burro é quem acha graça em
      piada de negro-caso fizesse piadas
      contra judeus ou muçulmanos,já
      estaria curtindo uma cana-a platéia
      destes showzinhos é composta de
      gente que fez arminha e votou 17 em
      2018 e 22 em 2022.É a elite branca
      que Cláudio Lembo descreveu bem.

      Excluir
    2. Chiiii tenho impressão que a Velha DEFU está tentando voltar em outro formato, mas não consegue convencer ninguém, o mesmo ranço indisfarçável ao tentar defender teses indefensáveis. Além de poluir o ambiente com seus textões segmentados. Bicha olha pro céu você pode encontrar um caminho nas estrelas que te conduza para o bem.
      G-

      Excluir
    3. ANONIMO 19.04 VC ESTA CERTISSIMO! QUEM DE ALGUMA FORMA SE SENTIR OFENDIDO PROCURE O JUDICIARIO!

      Excluir
  10. Ontem um colega de escola atirou uma banana no recreio para a minha filha e achou muito engraçado, se acabou de rir, contou pros colegas… Sabe o que fez esse garoto achar que isso tem MUITA graça?

    Pois é.

    Dispenso aliança q finge ñ saber de onde vem tanta violência.

    E eu só contei isso por conta da relativização dos efeitos medonhos da falsa inocência. Eu sei o que fazer nestas horas e ela, apesar da pouca idade, infelizmente também.

    ResponderExcluir
  11. todas as formas de vida inteligente no universo sabem a diferença entre o certo e o errado.
    simples assim.

    se não pode fazer a sério, também não pode fazer de brincadeira.

    ResponderExcluir
  12. Você faz parte das minorias que ele ataca mas não se revolta o suficiente para querer calá-lo porque dentro da minoria que você faz parte você é uma outra minoria, a dos homens brancos cisgêneros homossexuais. Crime não é liberdade de expressão, calar quem ataca qualquer minoria é questão de justiça.
    Quero ver essa gente que defende liberdade de expressão desembarcar no aeroporto de Tel-Aviv vestido de nazista fazendo piada sobre o holocausto.

    ResponderExcluir
  13. Esse "humorista" vai na lógica de quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha". Ele é culpado ou quem o assiste? Ele é culpado ou a imprensa e programas de tv que dá espaço para ele falar merda,assim como várias subcelebridades. O certo é não ter palco para essas pessoas,mas alguém o aplaude ou simplesmente obtem lucro com ele.

    ResponderExcluir