segunda-feira, 22 de maio de 2023

CHÁ DE CADEIRA

Volodomir Zelensky deu um perdido no Lula. Deixou o presidente brasileiro plantado no G7: não deu as caras em nenhum dos horários que a nossa diplomacia ofereceu para um encontro entre os dois. Bem feito. Esse chega pra lá desqualifica Lula como mediador num hipotético acordo de paz entre a Ucrânia e a Rússia. É o troco para inúmeras declarações desastradas, como "quando um não quer, dois não brigam", ou que os EUA seriam os grandes culpados pelo prolongamento da guerra. Ah, sim, claro, era só deixar de fornecer armas para os ucranianos e pronto, os russos venceriam, anexariam tudo o que quisessem e a paz dos cemitérios reinaria. Lula deu ouvidos aos esquerdistas de centro acadêmico de seu entorno, e percebeu um pouco tarde que ficou mal com as potências ocidentais. Agora é engolir esse chá com um sorriso nos lábios.

29 comentários:

  1. Tony você gosta de apanhar, né? Criticar o Lula causa a mesma avalanche de ódio que criticar o Bolsonaro quando esse ainda era presidente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 13:19-Deixe de ser isentão,tio.Quem
      queria "fuzilar a petralhada"?O Lula
      é que não foi,claro.

      Excluir
  2. Respostas
    1. Sim,os EUA são os grandes culpados
      pelo prolongamento da guerra-foi assim
      no Iraque,no Vietnã e no Afeganistão.

      Excluir
    2. Aham, os RUSSOS são os culpados pela guerra, ponto. Acharam que ia ser um passeio no parque e se meteram num atoleiro de onde não conseguem sair. Foram eles que invadiram a Ucrânia, sem serem provocados, e são eles que insistem na luta.

      Excluir
  3. IMHO o Brasil não tem poder algum, não pia nada, no que se refere a ter peso para influenciar esse conflito Rússia – Ucrania.

    Obviamente nossa situação internacional melhorou mil vezes com o Bozo fora. Esse negocio do G7 foi prato cheio pra mídia encher linguiça com especulações sem lastro na realidade. Brasil tem ótimos jornalistas que fazem boas analises respeito a politica interna, mas muito poucos com boas analises do contexto internacional.

    Primeiro que a chegada, cheia de segurança, logística etc, não foi de surpresa coisa nenhuma. Segundo, minha interpretação é que Lula e Zelensky não se encontraram porque NENHUM DOS DOIS, por motivos diferentes, queriam realmente que isso acontecesse. Foi um teatro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não compare o teatro com alguém
      que é comediante que aceita apoio
      de nazistas-o teatro é uma arte nobre.

      Excluir
    2. Zelensky tem apoio de nazistas? Você ainda cai nessa esparrela? Sim, há (ou havia) grupos paramilitares nazistas na Ucrânia, mas são insignificantes. Já a Rússia contratou os serviços do grupo Wagner, de mercenários mal-treinados, e cujo dono tem nítidas simpatias pela extrema-direita. Vá se informar um pouco antes de expelir comentários mal embasados.

      Excluir
    3. A Itália,governada por uma mulher que
      parece aquela deputada catarinense com
      uma tiara na cabeça-a Meloni mussolinista
      apóia o Zelensky.A política italiana lembra
      muito a nossa,faz tempo....

      Excluir
    4. Não é só a Itália. TODOS os países europeus apoiam o Zelensky. A única exceção é Belarus, que é um fantoche do Putin. Talvez você apoiasse também, se soubesse o que é ter um país na vizinhança que gosta de invadir os outros.

      Excluir
    5. Ao contrário de Belarus,a Irlanda é
      uma democracia,faz parte da União
      Européia e não faz parte da Otan.

      Excluir
    6. E ainda assim ela apoia a Ucrânia. A Irlanda se diz oficialmente neutra, mas tem enviado ambulâncias e outros tipos de auxílio para Kiev.

      Excluir
    7. 17:59-Absolutamente certo!

      Excluir
  4. Tb gostei.
    Em tempo, achei Volodomir um nome tão brasileiro... rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 14:33-Geisel nunca foi de esquerda e
      odiava a esquerda como o Mijair.Mas,
      tinha uma política externa que,se
      estivesse vivo,seria chamado de comuna.
      Rs........

      Excluir
  5. O Mio Babbino Caro
    Começou de novo o desastre, o Tony que tanto gostamos, fazendo análise Geopolítica.
    Se em análise política nacional o Tony cai nos braços do Aécio, beija o Moro e apoia o Golpe. Imagina em casos mais intricados que vai além de esquerda e direita ou Fascismo e Democracia. Afinal quem quer Putin ou quem quer Zelensky, mas todos nós queremos o Ursinho global.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 15:33-Concordo e assino embaixo.

      Excluir
    2. Esse Babbino aí de cima me parece fake. Não é o tom habitual que o verdadeiro Babbino usa.

      Excluir
    3. Tony,o Babbino é de esquerda,
      desde sempre.....

      Excluir
    4. Sim, mas o TOM do comentário não me parece ser o dele. Babbino nunca me chamou de "desastre", apesar de termos discordado várias vezes. Fora que agora ele assina seus comentários não mais como Anônimo, e sim como José.

      Excluir
  6. Respostas
    1. Não,não e não-nós não apoiamos
      quem tem batalhão nazista,tio.

      Excluir
    2. Zelensky tem apoio de nazistas? Você ainda cai nessa esparrela? Sim, há (ou havia) grupos paramilitares nazistas na Ucrânia, mas são insignificantes. Já a Rússia contratou os serviços do grupo Wagner, de mercenários mal-treinados, e cujo dono tem nítidas simpatias pela extrema-direita. Vá se informar um pouco antes de expelir comentários mal embasados.

      Excluir
    3. Ah,essa conversa de "esquerdistas de
      centro acadêmico" é muito Pondé,
      muito Carla Zambesta,muito Rodrigo
      Bostantino,ou daquela turma legal de
      Santa Cataralha-infelizmente,ainda
      existem grupos paramilitares na Ucrânia.

      Excluir
    4. Sim, existem, e por isto mesmo o país merece ser destruído!!
      Mané, sabe onde não faltam nazistoides? Na sua querida Rússia. Mas lá no seu centro acadêmico você foram treinados a achar que a Rússia do Putin é do bem.

      Excluir
    5. O problema é que a China está do lado
      do Putin-a segunda maior economia do
      mundo.Quem manda na Rússia não é o
      Putin,mas a China que é a URSS do
      Século 21.É a nova Guerra Fria.

      Excluir
    6. Lula não inventou essa política externa-
      ele pegou emprestada do Geisel,que
      frequentava mais quartéis do que centros
      acadêmicos por aí....

      Excluir
  7. Todas as milícias pró-Kiev no Dombass que flertavam com símbolos nazistas tiveram que se livrar deles e os líderes tiveram que se ajeitar a essas normas. Foram incorporadas às FA da Ucrânia (até porque, espera uma guerra explodir no seu país pra ver a propaganda de guerra local superracista, vide filmes da Disney e Warner dos anos 40). E não é como se a Ucrânia estivesse na posição de dispensar gente treinada e disposta a lutar.
    Já o Putin é o que age igual ao Hitler querendo invadir e incorporar os vizinhos. Aliás, o sonho dele nem é restaurar a URSS. É restaurar o império russo, aquele do século 19. TODOS os demais países do leste europeu (salvo Bielorrússia por razões óbvias), querem distância da "mãe Rússia"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 20:31-Cada um no seu quadrado:Putin
      não é Hitler porque não é nazista-ele se
      beneficiou do fim da URSS feita pelos
      EUA porque o Oriente não é muito fã da
      democracia ocidental-com exceções.

      E o comediante que governa a Ucrânia
      só está de pé por causa do apoio do
      Ocidente e nada mais-por quê não
      invadem a Arábia $audita e acabam com
      aquela ditadura machista?Hipocrisia.

      Excluir