segunda-feira, 1 de maio de 2023

ACABOU O FUTURO

Estou em crise de abstinência. Terminei ontem o sexto e último volume de "O Árabe do Futuro", a autobiografia em quadrinhos do franco-sírio Riad Sattouf. Minha jornada começou em 2015, quando comprei os dois primeiros livros em Cannes, e foi fascinante mergulhar nessa vida tão agitada. Filho de um sírio com uma francesa, Sattouf nasceu em Paris, passou a infância entre a Líbia e a Síria e a adolescência em Rennes, na Bretanha. A saga teria apenas quatro volumes, mas o autor esticou a série até 2011, quando tinha 33 anos e já era bastante conhecido. Graças ao "Árabe do Futuro", Riad Sattouf talvez seja hoje o maior nome da bédé francófona. O que me consola é que ele tem inúmeros outros projetos, e sua produção é copiosa. Daqui a pouco sai a segunda parte de "Le Jeune Acteur", sua nova série. Mal posso esperar.

2 comentários:

  1. Faz tempo que eu não leio HQ, mas as animações Lookism e Akudama Drive são excelentes. As duas estão na netflix.
    De livros, recomendo estes dois de ficção que você não vai conseguir parar de ler:
    A Exceção, de Christian Jungersen
    Recursos desumanos, de Pierre Lemaitre
    E vi anúncio de livro novo do Itamar Vieira, "Salvar o Fogo".
    Não gostei de Torto Arado, mas vou dar mais uma oportunidade para este escritor brasileiro.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, eu amei "Torto ARAdo". Já estava gostando muito até chegar à terceira parte. Dali em diante, caí de quatro. O livro é uma obra-prima.

    ResponderExcluir