terça-feira, 4 de abril de 2023

QUANDO A CARAPUÇA NÃO SERVE

Todo jovem acha que sabe tudo e que o mundo começou com ele, mas a garotada de hoje anda extrapolando o direito de ser babaca. Fiquei pasmo com os comentários que a bateria da Atlética do curso de Medicina da PUC-Goiás recebeu em seu perfil no Instagram, justamente num post em que explica que os capuzes usados na tradiconalérrima procissão do Fogaréu realizada em Goiás Velho no domingo de Ramos. não tem nada a ver com a Ku Klux Klan. São muito mais antigos, aliás, e já eram usados na Idade Média em Portugal e na Espanha. Mas a molecadinha não quer nem saber: exigem quese torque imediamente esse símbola da supremacia branca, porque afinal onde já se viu e bibibi bobobó. Essas crianças não têm cultura, não têm referências muito variadas e se sentem no direito de ditar regras para uma prática religiosa que já existia séculos antes deles nascerem. Pior que isto, só a expressão "pessoas que menstruam", que pretende incluir os homens trans - e exclui as mulheres que já entraram na menopausa.

21 comentários:

  1. Sobre o final do texto, cabe um esclarecimento: "exclui" mulheres que entraram na menopausa, pq o contexto que essa expressão é pra ser usada é quando for tratar sobre menstruação, numa campanha pública sobre distribuição de absorventes, por exemplo. Não é dito pra usar "pessoas que menstruam" fora desse contexto, isso são feministas extremistas e transfóbicas que inventaram. Mas já se tem uma solução pra isso, usar "mulheres E pessoas que menstruam", logo, só faz polêmica com isso quem é ignorante feito vc nesse post, ou pessoas que querem ser transfóbicas e procuram um jeito/uma justificativa pra disfarçar isso. Só falta dizer que as mulheres trans usarem banheiros femininos vai aumentar ou facilitar estupros feito a JK. Para concordar com as outras opiniões da extrema-direira é um passinho, hein.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha aí um exemplo cristalino da empáfia e da arrogância desses novos donos da verdade. Ao invés de tentar me informar de algo que eu talvez não soubesse, o sujeito já vem me chamando de ignorante e dizendo que falta pouco para eu concordar com a extrema-direita. Então tá.

      Essa molecadinha não percebe que a expressão "pessoas que menstruam"- que, sim, eu já vi sendo usada em contextos que não o de campanhas públicas sobre menstruação - é extremamente ofensiva para muitas mulheres cis, que se vêm reduzidas a vaginas. Mas a molecadinha não está nem aí: prefere criar um ruído desnecessário e hostilizar pessoas que poderiam muito bem estar apoiando as pautas progressistas, do que travar um diálogo honesto e construtivo.

      Excluir
    2. Onde o cara tirou que existem
      feministas extremistas?Da cabeça
      oca dele?Existem é machistas
      assumidos-o resto é puro mimimimi.

      Excluir

    3. Existem sim. São as chamadas radfems. Raras no Brasl, nem tanto no exterior. Tem algumas que querem mesmo dispensar os homens... e outras que não reconhecem as trans como mulheres, porque elas cresceram com todos os privilégios dos homens (e todo o sofrimento dos transexuais, esquecem-se).

      Excluir
    4. Claro,os homens estupram,batem,
      matam,ficam fazendo pose tomando
      Campari dizendo que mulher não
      presta-quando elas dão um chute na
      bunda,merecidamente.Os homens
      heteros,claro....

      Excluir
  2. O Mio Babbino Caro
    Seria interessante ver a cara desses fulanos, porém em se tratando de curso de medicina, seria até dispensável...de qualquer forma não passam de uns infelizes de um país ainda chamado de Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. jovens cada vez mais burros por isso nao confio nos medicos nunca

      Excluir
    2. Isso aí de cima é tão velho quanto a
      Loira do Banheiro.Nos anos 90,eu
      já ouvia essas comparações entre
      os caipiras goianos e a KKK.Aliás,
      Goiás é a Santa Catarina do Centro-
      Oeste-uma imensa fazendona.

      Excluir
  3. Oxe, desceu o espírito do twitter no Tony hoje.

    ResponderExcluir
  4. Tony eu tenho 21 anos e você sabe que sou seu leitor fiel, e te digo com segurança que a maioria da galera da minha idade (não sei os mais novos) acha isso patético e simplesmente não dá a mínima. Uma minoria que tá mais ativa no Twitter que faz muito barulho, porém ao menos nos meios em que vou (estágio, faculdade, amigos, festas, etc), eu vejo que isso não é uma graaande questão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é verdade. Não posso generalizar.

      Excluir
    2. O Twitter é uma idiotice-experimente
      criticar o Putin,o Edair ou o Trump,
      por exemplo.É esgoto puro.

      Excluir
  5. Tony, eu te admiro muito, mas na linha do comentário anterior, seu texto me pareceu tão superficial e agressivo quanto os "jovens" que vc critica nele. Eu concordo que o debate público "twitterizado" anda raso e raivoso, mas muitas vezes a moçada tem sim muito argumento que a gente deveria tentar ao menos ouvir mais desarmados. Esses casos mesmo que vc comenta creio que têm muitas nuances e camadas, mas vc analisou da mesma forma simplista que critica, me parece. Te digo tudo isso com muito respeito e carinho, tá?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O sujeito me chamou de ignorante e propenso a votar na extrema-direita. Perdi as estribeiras e não me arrependo. Não tenho paciência para quem está começando.

      Excluir
    2. Tony,em Goiás a maioria do povo
      parece viver no Texas ou na Flórida.
      A maioria é formada de gente reaça
      que curte música sertanoja.Pois é....

      Excluir
  6. Vamos falar de cultura e referências ? De fato as vestes com capuzes não tem nada a ver com supremacistas brancos, no entanto elas tem tudo a ver com as fogueiras do Santo Ofício (Inquisição).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AMÉM. EXATO. Finalmente alguém tocou no ponto. Não tem relação com a KKK, mas pesquisem a origem disso, e que inspira o uso desses capuzes até hoje em diversas manifestações culturais.

      Excluir
    2. Isso aí não é cultura,é babaquice
      caipiróide pra aparecer na mídia.

      Excluir
    3. É bom lembrar que esses mascarados da procissão representam os soldados romanos que prenderam Jesus - ou seja, estão entre os vilões da história.

      Excluir
  7. https://www.instagram.com/reel/Cqt3YpRLksh/?igshid=MDJmNzVkMjY=

    ResponderExcluir
  8. Ninguém mais aguenta esses inquisidores virtuais, patrocinados por papai e mamãe. Ter uma CTPS assinada, isso ninguém quer...

    ResponderExcluir