segunda-feira, 3 de abril de 2023

MÁGICA AMARELA

Baixei no começo do ano o álbum "12", sem desconfiar que seria o último que Ryuichi Sakamoto lançaria ainda em vida.Acredito que outros virão, por que deve haver muito material inédito. Sakamoto era um gênio absoluto: passeava por todos os gêneros, da música clássica ao hip hop, sem jamais perder uma certa japonesidade. Como muita gente, tomei cnhecimento de sua existência com o filme "Merry Christmas Mr. Lawrence", em que ele autou ao lado de David Bowie e compôs uma das trilhas mais lindas de todos os tempos. Não foi sequer indicada ao Oscar, mas a Academia se redimiu alguns anos depois ao pemiar a música de "O Último Imperador". Eu também adorava suas incursões pelo pop, e "Heartbeat" foi um dos meus discos favoritos de 1991. Agora vou mergulhar em sua vastíssima obra, que não conheço tão bem. Terei muito o que ouvir pelos próximos anos.

7 comentários:

  1. O Mio Babbino Caro
    Há alguns anos não ouvia referência a ele. Mas seu nome sempre suscitou uma irreverência e sempre despertou a inquietação que um grande artista sempre
    causa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vocês que gostem de gente feia,
      eu prefiro a Katy Perry.

      Excluir
  2. Farei o mesmo! para lembrar o romance tórrido e groundbreaking entre Sakamoto e Bowie

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai,ai,ai,estas unanimidades....Nelson
      tinha razão,mesmo.Que chatice.

      Excluir
    2. Doidinho pra usar o lugar comum "toda unanimidade....". Foram apenas 3 comentarios. Seja vc então o critico dissonante.
      G-

      Excluir
    3. 23:06-Eu fiz o comentário sobre a
      Katy Perry e sobre unanimidade-
      e não volto atrás.Beijos.

      Excluir
    4. Ninguém se importa com fã de Katy Perry.

      Excluir