terça-feira, 18 de abril de 2023

JOLI-LAID

Até 2015, eu voltava do exterior carregado de CDs. Meu recorde foi atingido dois anos antes, quando trouxe nada menos do que 50 disquinhos físicos da Turquia. Aí chegaram as plataformas de áudio, e torrar uma grana nesses pedaços de plástico pediram o sentido. Nesse meu recente séjour entre França e Suíça, não tive sequer uma música-tema que marcou os dias que passei por lá. Quem mais se aproxima disso talvez seja UssaR, cujo primeiro álbum, "Étendard", tinha sua capa estampada nos quiosques de Paris. O som do cara se inscreve na longa tradição francesa de chantauteurs, com uma dose extra de eletrônica temperando suas baladas. E no clipe acima dá para perceber que ele também é caudatário de outra tradição de seu país: a dos homens feios-bonitos.

2 comentários:

  1. Algo semelhante aconteceu comigo. Antes, cada viagem minha tinha uma música tema, uma música que descobrira naquela viagem. Agora, tenho um repertório muito maior de músicas internacionais, mas essa associação com o lugar em si se perdeu.

    ResponderExcluir