quarta-feira, 1 de março de 2023

FAÇA A COISA PRETA

A Disney lançou hoje o trailer de "Peter Pan & Wendy", e revelou que a fada Sininho é interpretada por uma atriz negra. A internet logo começou a reclamar, mas dessa vez as queixas não são do nível "vocês estragaram a minha infância, a Sininho sempre foi loira!". Muita gente aponta que a Disney vem optando pelo caminho fácil de trocar o gênero e a etnia de personagens clássicos, ao invés de criar novos personagens negros, femininos e por aí vai. De fato, há uma certa tendência na indústria toda em transformar antigos protagonistas em mulheres negras lésbicas trans com deficiência. Representatividade é bem mais do que isso: é mergulhar numa problemática que até hoje estava meio invisível, não uma mudança cosmética e superficial. Mas também tem quem reclame que os Meninos Perdidos agora incluem meninas ("so?", como diz a garota no trailer) e até que o Capitão Gancho continue tendo, aham, um gancho, pois isto seria capacitismo. Galera se esquece que "Peter Pan" (sem Wendy no título, outra concessão aos woke) é um livro do século 19, e que criança não é burra: porque não colocar um aviso de que os preconceitos da época eram diferentes dos atuais?

9 comentários:

  1. "...transformar antigos protagonistas em mulheres negras lésbicas trans com deficiência." Rs

    ResponderExcluir
  2. E depois entrega isto: "Representatividade é bem mais do que isso: é mergulhar numa problemática que até hoje estava meio invisível, não uma mudança cosmética e superficial."
    Essa resolução final que não concordo, aviso para crianças? No momento do encantamento e imaginação, ferramentas imprescidíveis para se utilizar na infância.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho desnecessário tal aviso. Dá para trabalhar bem o texto de modo que os preconceitos sejam abordados sem parecer pedante. Afina, como o tony fisse, criança não é burra.

      Excluir
    2. 18:57-Lacração pouca é bobagem pra
      gente que vê defeito até em filme infantil.

      Excluir
  3. Vou te falar a verdade. Estou pouco me importando com isso.

    ResponderExcluir
  4. Aparentemente o próprio ator que faz o Peter Pan também não é caucasiano

    ResponderExcluir
  5. É a Grande Substituição em curso.

    ResponderExcluir
  6. Discordo, afinal, a maioria desses filmes e personagens são "cosméticos e superficiais", logo faz sentido apenas substituir e não mudar a essência original do produto.

    ResponderExcluir
  7. Acho que parte da quebra de paradigma é contar as mesmas histórias com papéis alternados. São histórias muito enraizadas e que merecem ser recontadas com perfis diversos. Seu “woke” no texto parece excluir vc mesmo deles, mas acredite para os contra-woke, vc é um deles. Assista ao canal Linhagem Geek. É a análise para os novos nerds de 20 a 30 anos da cultura pop a partir de uma perspectiva “contra-Woke” . Eles chamam os woke de lacrate. Acreditam que há uma conspiração internacional globalista para impor as pautas feministas, LGBT, antirracista e comunista para sociedade como forma de controle de massas .qualquer troca de genero, raça ou sexualidade é tratada como um ataque globalista contra os valores “corretos” FTP… Parece besteira, mas eles estão plantando a nova geração de Bolsominios, basta ver os comentários. Não dá para subestimar essa gente. Eles vem com tudo por aí.

    ResponderExcluir