terça-feira, 28 de março de 2023

BOMBANDO EM GENEBRA

Hoje conseguimos atravessar meia França de trem e chegar à Suíça com apenas uma hora mais tarde que o previsto - o TGV saiu no horário, mas sua vitesse não estava tão grande assim. Meu marido não vinha a Genebra há mias de 50 anos, então para ele é uma cidade praticamente inédita. Para mim já é a sexta vez, porque tenho família aqui. E hoje o programa foi jantar no Bombar, o restaurante do qual meu sobrinho Marc é sócio. Fica no bairro de Plainpalais, que não era lá essas coisas mas vem se gentrificando, e se chama Bombar. O nome é uma alusão ao português "bom bar", que tem pronúncia e significado idênticos ao francês.

O que o Marc não conhecia era a gíria "bombar", mas parece que seu anjo da guarda, sim. Depois de uma frase magra na pandemia, o Bombar está bombando. Abre só para o jantar, de terça a domingo, e é bom reservar mesa. Está sempre cheio, e e público tem a idade dos donos. Não é lá muito barato, mas a comida é sensacional. Comemos, aspargos, morilles (um tipo de cogumelo), entrecôte com salada de sucarine e, de sobremesa brioche perdue, uma rabanada metida a besta Até a crítica do Gault & Millau gostou. Então fica a dica para quem vier a Genebra; Bombar, 3 Place des Augustins. Qeur ver os pratos? Tem no Instagaam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário