quinta-feira, 2 de fevereiro de 2023

A GLÓRIA DA VIDA

Hoje é um dia triste para a TV brasileira, mas eu prefiro celebrar a vida da Glória Maria do que lamentar sua morte. Ela se foi com apenas 73 anos, o que é até pouco para os padrões atuais, mas viveu intensamente e atingiu, aham, os píncaros da glória. Foi descoberta quando foi dançar com um bloco de carnaval no programa do Chacrinha, e o Velho Guerreiro - que tinha um faro imbatível para identificar quem era do ramo - a indicou para um teste na Globo. Já formada em jornalismo, ela gramou anos cobrindo buracos de rua, até que entrevistas com nomes como Freddie Mercury e Michael Jackson a levaram para outro patamar. Por décadas, foi de longe a repórter mais popular da emissora. Além de boa parte do público se identificar com sua pele preta, coisa raríssima durante muito tempo no telejornalismo brasileiro, Glória tinha uma autenticidade e uma curiosidade que a aproximavam de qualquer espectador. Consta que, no trato diário, não era assim tão fácil de lidar. Mas deixou uma obra imensa, repleta de "primeiras vezes", quase sempre com um sorrisão estampado no rosto. Namorou quem quis, adotou duas filhas lindas, mentiu a idade até o assunto virar piada nacional e ela nem tchuns. Apesar de eu circular pelos bastidores da TV brasileira já há algum tempo, só cruzei com Glória uma vez, num corredor da Vênus Platinada, a Globo Jardim Botânico. Não nos falamos nem nada: eu era ainda menos do que sou hoje. Uma pena, pois agora eu adoraria entrevistá-la.

(Mais um texto meu sobre Glória Maria saiu hoje no F5: leia aqui)

27 comentários:

  1. Sim, era uma pessoa muito difícil, principalmente com outras mulheres. Tenho uma amiga produtora que chorava semana sim, semana não ao trabalhar com ela.

    ResponderExcluir
  2. Com Michael Jackson não foi uma entrevista. Foi uma frase gritada pra ele e ele deu tchau.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até um beijo ele deu nela... invejosa

      Excluir
    2. 16:32-Isso não é jornalismo-é
      Amaury Dumbo escancarado.

      Excluir
    3. Ele não deu entrevista pra ninguém, ela conseguiu arrancar dele uma fala e um beijo, invejosaaaaaaa! Kkkk

      Excluir
    4. 19:22-É mistura de Amaury Dumbo
      com Atayde Patreze.kkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    5. Um bando de escrotos tentando desqualificar uma jornalista brilhante só porque ela é negra. Ela conseguiu bem mais que vc e isso te mata de inveja kkkkkk

      Excluir
    6. 08:11-É mesmo,cara-pálida?Na TV
      dela,já trabalhou alguma apresentadora
      de programa infantil da mesma cor?

      Novela de escravo a emissora gosta,
      já diz a música do MV Bill.

      Excluir
    7. A sua inveja vai corroer seu fígado, kkkkk

      Excluir
    8. 13:22-Inveja de quem trabalha na TV
      que editou aquele debate pra eleger
      o Collor.KKKKKKKKKKK

      Excluir
    9. O problema aqui é vc não suportar uma mulher negra bem sucedida na carreira que escolheu, fez da vida o que quis e cagou pra gente escrota como vc...kkkkk

      Excluir
    10. 16:20-Escolheu trabalhar pra TV que
      apoiou o golpe contra uma mulher
      honesta-vai ver o direito de resposta
      do Brizola do JN....prefiro a Chicória
      Maria do Casseta e Planeta,otário.
      kkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    11. Então vc via Casseta e Planeta na tv que apoiou o golpe e o otario sou eu? Kkkkk

      Excluir
    12. O Casseta e Planeta era muito mais
      engraçado que o Sai de Baixo-tirando
      a Marisa Orth e o Falabella.kkkkkkkk

      Excluir
    13. Sim,eu tenho inveja de uma TV que
      inventou o Collor,mostrava dutos
      jorrando dinheiro pra tirar uma mulher
      honesta e que nunca teve uma mulher
      preta apresentando um programa de
      auditório.kkkkkkkkkkk......OH,YEAH!!!!!

      Excluir
    14. Teve sim. Taís Araújo apresentou duas temporadas do programa "Popstar" (eu fui jurado uma vez), e Camila Pitanga comandou alguns episódios do "Som Brasil".

      Excluir
    15. 16:20-Cara,ficar falando em "inveja",é
      coisa de terceira série.A TV onde ela
      trabalhava,até há pouco tempo,botava
      negros pra fazer novela como escravos
      ou bandidos.E no jornalismo,então????
      Vai estudar.kkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  3. Se até vcs brancos estão sentidos, imagine nós negros, que raramente nos reconhecemos em um espaço imagético.
    E nossa representante era elegante, articulada e viajada; eu, menino gay e negro de Ssa suspirava por ela, embora não concordasse com todos seus posicionamentos, do jeito que tem que ser, afinal somos indivíduos, era fãzão dela!
    Valeu, Glória!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é incrível? Nós, brancos, as vezes, temos sentimentos.

      Excluir
    2. Desculpe se eu te ofendi, e fui racista com vc, não foi minha intenção, eu tenho até amigos brancos!
      Como no mundo é sempre bom lembrar que falta amor, mas tb interpretação de texto, eu falei que se não bastasse ela ser uma grande jornalista, a representatividade dela foi algo imenso!

      Excluir
    3. 15:28-Durante séculos,a Globo só
      tinha uma negra jornalista....e o
      povo achava isso legaaaalllll......

      Excluir
  4. Na época que ela era best da Narcisa, tentou humilhar um conhecido meu que era amigo/ namoradinho da filha da Narcisa.

    ResponderExcluir
  5. Achei desrespeitoso você como citar a idade dela. Uma coisa meio bicha má

    ResponderExcluir
  6. Tecnicamente ter 70 anos hoje é estar muito acima do que se esperava. A expectativa de vida ao nascer de quem tem 70 hoje era na casa dos 50. Quem tem expectativa de viver até os 77 anos é quem está nascendo neste ano e não quem já está aqui a um bom tempo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vê se o Caco Barcellos esconde a idade
      dele-ou o Chico Pinheiro-só quem faz
      jornalismo Amaury Dumbo,mesmo.

      Excluir