sábado, 21 de janeiro de 2023

CHEGA PRA LÁ

Paciência tem limite. Lula, o mais conciliador dos presidentes brasileiros desde a redemocratização, hoje chutou o pau da barraca, e também o general Júlio César de Arruda para fora do comando do Exército. Fez muito bem. Arruda é o tal que não deixou prender os golpistas acampados em Brasília. Tinha que ter sido demitido no dia seguinte. Durou mais duas semanas no cargo, mas passa para a história sob o vexame de ter sido o mais breve comandante de sua arma da história do Brasil. Em seu lugar entra o general Tomás Miguel Ribeiro Paiva, que fez um vigoroso discurso pró-democracia esta semana. Eu não confio 100% nele - afinal, Paiva foi chefe de gabinete do hediondo general Villas-Boas, que ameaçou o STF com um tuíte em 2018 - mas me parece bem melhor que os birolistas incrustados nas Forças Armadas. Acima de tudo, Lula dá uma demonstração de força e se atreve a mexer na mais sinistra instituição do Estado brasileiro. Não é revanchismo: é a faxina mais que necessária, que já deveria ter sido feita há décadas. Milicos golpistas merecem a lata de lixo da história.

2 comentários:

  1. Milicos golpistas merecem cadeia, se o exército tivesse expulsado o lixo supremo nós não estaríamos passando por isso mas resolveram maquiar tá aí o estrago feito

    ResponderExcluir
  2. O Mio Babbino Caro
    Muita tinta e papel ainda será gasta até o dia, quem sabe, se terá um exército de fato submetido à Constituição, até lá se viverá de favores que os "militares" resolverem conceder. Cada dia estou mais longe e envergonhado desse troço chamado Brasil e não há Portugal para onde se diga que vá se mudar.
    Uma nação derrotada por ela mesma, onde seus homens esperam até amanhã para concordar com o óbvio de ontem. Aguarda-se novamente o apoio da elite nacional que Lula deva ser preso.
    Ou aprendamos!



    ResponderExcluir