segunda-feira, 2 de janeiro de 2023

ADEUS, ADOLF

O papa Bento 16 foi um alvo preferencial nos primeiros anos do meu blog. Eu não suportava o sujeito: ideias homofóbicas, inabilidade política, carisma zero. Não via a hora de vê-lo pelas costas. Essa hora chegou de surpresa há quase 10 anos, quando Adolf I (o apelido carinhoso que eu lhe dei) renunciou ao papado, abrindo caminho para Francisco, um dos papas mais legais de todos os tempos. Até hoje se especula o que o levou Joseph Ratzinger a ser o primeiro pontífice a abdicar em 600 anos. Só questões de saúde? Ou ele estaria sendo chantageado? O filme "Dois Papas" pinta um retrato simpático desse alemão de maus bofes, e dá a entender que ele escolheu o argentino Mario Bergoglio, que havia ficado em segundo lugar no concílio que o elegeu em 2005, como seu sucessor. Acho improvável, porque os dois eram de linhas opostas dentro da Igreja, mas vai saber. Bento 16 entra para a história como um teólogo importante e um intelectual sofisticado, mas não dá para soltar um veredito definitivo até descobrirmos o que de fato o obrigou a sair de cena em 2013.

5 comentários:

  1. O Mio Babbino Caro
    Palpite...Feliz: Saiu porque o conjunto do Vaticano entendeu que no mundo não há mais lugar de pessoas como ele, Bolsonaro e etc rsrs

    ResponderExcluir
  2. É a cara do Senador Palpatine do Star Wars, o Darth Sidious.

    ResponderExcluir
  3. Vou admitir: Também não ia com a cara do Bento XVI.

    ResponderExcluir
  4. Que ele era o surgar daddy do Georg Gänswein e protetor de pedófilos?

    ResponderExcluir
  5. O boy Georg Gänswein é também conhecido como Gorgeous George, Il Bel Giorgio e até mesmo como "Adônis da Floresta Negra".

    ResponderExcluir