domingo, 27 de novembro de 2022

NÃO TEM MAIS BRINCADEIRA

Minha primeira reação ao saber que Gilberto Gil foi agredido verbalmente por um bolsominion no Qatar foi de nojo e revolta. Gil é um ícone vivo da nossa cultura, membro da Academia Brasileira de Letras e autor de uma obra monumental. Uma onda de solidariedade se levantou ao seu redor, e ele mesmo gravou um vídeo agradecendo. Aí eu vi que no Twitter o gado estava reclamando que a mesma comoção não aconteceu quando Regina Duarte foi vaiada num teatro em São Paulo, há cerca de um mês, e uma dúvida se instalou na minha cabeça. A civilidade tem que valer para todos, não só para quem a gente gosta. Mas há uma ressalva importante a ser feita. Regina, Cássia Kis, Sérgio Reis e similares espalham mentiras e incitam o ódio com suas palavras. Gil, por seu lado, é totalmente zen. "Papito Rani", o minion ainda não identificado que o xingou, inclui "Lei Rouanet" em suas ofensas, como se usar um mecanismo legal de apoio à cultura fosse pecado - e nem consta que Gil o tenha usado. Queria só ver um desses imbecis explicando como funciona a Rouanet. Aposto que nenhum sabe. Para terminar, gostaria de reiterar que já achei graça nesses achaques a figuras públicas em lugares públicos, mas agora mudei de ideia. Eu não xingaria nem mesmo a Cássia Kis, que hoje ocupa um dos postos mais baixos na escala da humanidade. Chega. Não tem mais confusão.

3 comentários:

  1. Chama-se Ranier Felipe dos Santos Lemache, sócio das franquias Domino's e Spoleto em Volta Redonda, Rio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora esse sujeito jura que só zoou, não xingou o Gil... que preguiça.

      Excluir
  2. Viva o Gil...Que ranço dessa gentalha ridícula, horrorosa e cafona...

    ResponderExcluir