segunda-feira, 24 de outubro de 2022

A MOSTRA DESMASCARADA - 2

Existe um tipo de cinema muito na moda nos dias de hoje que eu simplesmente não suporto. O diretor faz ficção, mas finge estar fazendo um documentário. Quer captar "a vida real". As interpretações são as mais naturalistas possíveis, e às vezes os atores nem são profissionais. As cenas são longas, com tempos mortos, e às vezes não acrescentam nada à história. Não há trilha sonora, só os sons ambientes. "Alcarràs", que venceu o festival de Berlim e é o representante da Espanha no próximo Oscar, se encaixa neste modelo. falado em catalão, o filme de Carla Simón acompanha a rotina de uma família de fazendeiros. Eles não são pobres: a casa onde vivem tem piscina, TV de tela plana e muitos computadores. Também não passam por grandes conflitos internos. O rapaz mais velho planta maconha escondido e gosta de música eletrônica. As crianças brincam de teatrinho. Todos se amam. O preço do pêssego que eles produzem caiu, mas e daí? Vão ter que mudar de vida? Não tô nem aí.
Gostei bem mais de "Belas Criaturas" o candidato da Islândia ao próximo Oscar. É um raro filme de lá que não se passa no interior fantasmagórico do país, mas na capital Reykjavik, que poderia se passar por muitas outras cidades. Os protagonistas são quatro meninos que formam uma espécie de gangue, mas não cometem nenhum crime mais sério do que fumar cogumelos. O líder gosta de dar porradas por aí, o narrador é lindo de morrer e o novo membro foi vítima de um bullying brutal na escola. Todos vêm de lares complicados. A primeira hora é ótima e aí vem uma derrapada, mas a meia hora final redime o longa. Triste, violento e esperançoso, "Belas Criaturas" mostra que nem tudo são flores na avançada Escandinávia.
 "
Fui ver "Domingo e a Neblina" meio que sabendo que eu não ia gostar. Brochei na sinopse: um velho camponês resiste aos especuladores que querem comprar seu sítio. Ele não quer sair de lá porque acha que a neblina que aparece de vez em quando é o espírito de sua falecida esposa, que vem visitá-lo. Quase caí no sono só de escrever essas frases. Por que é que eu fui, então? Porque meu contrato imaginário com o deus do cinema exige queceu veja todos os filmes inscritos no Oscar internacional que estiverem ao meu alcance. Essa chatura é o filme selecionado pela Costa Rica.

2 comentários:

  1. Vc viu o vídeo da Pavineto? O idiota quer ficar famoso a qualquer custo, nem que seja queimando a cara.

    ResponderExcluir
  2. TV de tela plana é luxo?

    ResponderExcluir