segunda-feira, 5 de setembro de 2022

RECHAZO

Não foi dessa vez. A nova Constituição do Chile, que transformaria o país num dos mais progressistas do mundo, sofreu uma derrota fragorosa. Dois terços dos chilenos rejeitaram a Carta, elaborada por uma assembleia que tendia fortemente à esquerda. Parece meio contraditório: afinal, 80% dos eleitores votaram por aposentar a Constituição da era Pinochet, depois de protestos maciços em 2019. Mas poucos compareceram às urnas na hora de escolher os constituintes, e os eleitos não refletiam a composição de forças da sociedade chilena. O país, como muitos outros, está bem dividido. É só lembrar que um candidato da extrema-direita chegou ao segundo turno do pleito presidencial. Agora Gabriel Boric vai ter ainda mais trabalho, e vamos torcer para que boa porte do texto rechaçado seja reaproveitada.

10 comentários:

  1. Torci para que fosse aprovada para ver como eles se sairiam da enrascada. O texto era woke demais, impraticável, irrealizável, impossível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. la vem o realista capitalista que acredita nessa estrategia de classe, burro!

      Excluir
  2. vc que gosta do FHC assiste esse video
    https://www.youtube.com/watch?v=MMYCVWpbQR8

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jones Manoel é stalinista. Não dá para levar a sério.

      Excluir
    2. Fale do vídeo, não do que Jones Manoel supostamente é.

      Excluir
    3. Jones é stalinista,mesmo.Desde sempre.

      Excluir
    4. E quanto ao vídeo?

      Excluir
  3. No UOL deram 5 motivos. Um deles foi o festival de fake news. Bozo fez escola

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não foi bem no UOL, foi na Folha. A matéria é assinada pela minha amiga Sylvia Colombo, correspondente em Buenos Aires.

      https://www1.folha.uol.com.br/blogs/sylvia-colombo/2022/09/cinco-chaves-para-entender-porque-chilenos-rejeitaram-constituicao.shtml

      Excluir
    2. Fake news não é só coisa de brasileiro
      ou americano,não....o Brexit que o diga.

      Excluir