segunda-feira, 26 de setembro de 2022

CONTROMANO

Há um lado bom na vitória de Giorgia Meloni nas eleições italianas de ontem. Fã declarada de Benito Mussolini e filiada a um partido de extrema-direita, ela ajuda a enterrar a balela de que o fascismo é de esquerda. Tirando isso, o resto é ruim. A Itália é o primeiro grande país da Europa a sucumbir à onda reacionária, justo no momento em que ela reflui no resto do mundo. mas o fato é que os fascistas nunca foram extintos no berço do movimento. Entre outras aberrações, a futura primeira-ministra é contra os direitos LGBTQIA+ e contra a imigração - o que é ridículo num dos países que mais despachou imigrantes para o resto do mundo. O consolo é que, dada a instabilidade da política italiana, o novo governo deve durar pouco. 

Ah, sim, outra boa notícia: Emerson Fittipaldi não foi eleito. O ex-campeão de Fórmula 1 concorreu a uma vaga de senador pelo mesmo partido de Meloni, o Irmãos da Itália, para representar os oriundi da América do Sul. Fittipaldi estava de olho no salário de 86 mil reais por mês, que o ajudaria a pagar sua dívida de 50 milhões. Uma de suas propostas era descolar do Biroliro a imagem de fascista - concorrendo por um partido fascista, veja só. Total perda de tempo, já que o Vara Curta não será mesmo reeleito.

4 comentários:

  1. Não é a Itália que faz uma mega propaganda para jovens casais com filhos imigrarem para seus vilarejos onde só há gente velha???

    ResponderExcluir
  2. Emmo não se elegeu, mas continua a cara da Gretchen!

    ResponderExcluir
  3. Ano que vem ela cai.. a média de governo na Italia é de 13 meses.. uma bagunça hahaha.. mudando de assunto: finalmente Bolsonaro tem um país para se exilar em janeiro de 2023 e evitar a prisão. Perdeu todos os aliados: EUA de Trump e Israel... Sobrou Dubai, cujo Sheik ganhou refinarias da Petrobras a preço de lesa-patria, e agora essa Itália, onde Bozo é cidadão honorário de uma cidadela no Vêneto.

    ResponderExcluir
  4. Uma vergonha. A capacidade dos italianos de se afundarem cada vez mais parece não ter limite. Em termos econômicos, a decadência de um pais que era mais rico per capita que o Reino Unido no final dos anos 80 ("il sorpasso") e hoje em dia tem que ficar de olho para não ser ultrapassada pela Espanha. Em termos sociais, Portugal e Espanha parecem estar a anos luz na frente e eles conseguem até fazer a França parecer moderna e esclarecida. Uma pena, um dos paises mais brilhantes do mundo afundado nesse pantano da extrema-direita. :(

    ResponderExcluir