sábado, 20 de agosto de 2022

VIVA A GORDA

Lembro perfeitamente da primeira vez que vi Claudia Jimenez. Foi em 1979, na montagem original da "Ópera do Malandro", em que ela fazia uma prostituta. Seu corpanzil e seu carisma se destacavam no meio do elenco numeroso. Alguns meses depois, cruzei com ela na UD, a Feira de Utilidades Domésticas, hoje extinta: Claudia trabalhava no caixa de um stand, fazendo um bico enquanto a carreira de atriz não engatava de vez. Aí engatou, e ela se tornou uma das maiores humoristas brasileiras de todos os tempos. Hoje Claudia se foi, depois de enfrentar a gordofobia que a fez deixar o elenco de "Sai de Baixo" e inúmeros problemas de saúde. Fica a lembrança de sua presença incontornável e seu timing afiadíssimo para a comédia.

3 comentários:

  1. Agora a Vava Corporation está operando 100% do céu.

    ResponderExcluir
  2. Eu lembro dela dizendo que a ponte de safena dela se chama Sai de Baixo. Mas não lembro exatamente o que foi que aconteceu.

    ResponderExcluir
  3. nossa uma grande atriz mesmo, quem vai sobrar? tanta gente mediocre! os jovens as pessoas estão cada vez mais burras e mediocres. Culturalmente o Brasil era muito mais interessante anos atraz apesar dos problemas sociais, tenho a impressão que a era do neoliberalismo FHC foi o inicio do fim, capitalismo primitivo exige mentes primitivas. A opressão comportamental e cultural está afetando a qualidade das pessoas e qualidade da nossa cultura num mundo onde todo somos espionados para não sairmos da linha um zé celso da vida nunca mais vai nascer.

    ResponderExcluir