domingo, 10 de julho de 2022

Ó MUNDO TÃO DESIGUAL

As duas postagens recentes aqui no meu blog com mais audiência e mais comentários foram ambas sobre membros da elite brasileira ostentando privilégios em textos de jornal. Tanto os delírios de Danuza Leão como os de Washington Olivetto revoltaram boa parte dos meus leitores, sem falar do fuzuê que causaram nas redes sociais. O que era encarado como gracinha alguns anos atrás agora é execrado, porque o Brasil finalmente está se dando conta de sua profunda desigualdade social. Esse mesmo sentimento explica o sucesso avassalador do podcast "A Mulher da Casa Abandonada", do jornalista Chico Felitti, lançado pela Folha de S. Paulo. Apesar de parecer que é uma vítima, a personagem-título na verdade é uma vilã: Margarida Bonetti, dita Mari, que se refugiou no casarão da família em Higienópolis depois de fugir dos Estados Unidos, acusada de manter uma empregada em regime análogo à escravidão. Apesar de habitada, a casa em questão está caindo aos pedaços, cheia de lixo e focos de mosquitos, exalando um mau cheiro que atazana a vizinhança. Chico é um tremendo "storyteller", que sabe envolver o ouvinte ao longo de sete episódios com cerca de 40 minutos cada (cinco já estão disponíveis). Comecei a ouvir ontem e já estou viciado. O podcast virou um fenômeno e, como diz o ombudsman da Folha em sua coluna de hoje, saiu do controle do jornal. Com curiosos e canais de TV cercando a casa, Margarida se escafedeu, e a ONG de Luisa Mell precisou salvar os cachorros de lá na semana passada. O perigo, claro, é alguém se dispor a fazer justiça com as próprias mãos, e agredir Margarida fisicamente ou depredar a casa. Mas precisamos todos ter a consciência de que o trabalho escravo ainda existe em pleno século 21, bem nas nossas barbas. Desigualdade nesse nível não pode ser mais tolerada.

6 comentários:

  1. De certa forma, ele tem o mesmo efeito de Praia dos Ossos, não acha?
    A questão do crime fora da periferia, que também pode ser cometido por nós... Observe que nos dois podcasts, ambos os crimes foram solucionados, demonstrando que podcast bom, é uma reportagem, não um programa de entrevistas de rádio!

    ResponderExcluir
  2. Isso é real? Parece ficção?? Kkkk

    ResponderExcluir
  3. De resto,isso é puro sensacionalismo-
    e também idolatria como diz a Natália
    Timerman,do UOL.Que "canais de TV"
    foram lá-aquela do Tim Tones?Me poupem....

    ResponderExcluir
  4. Já deu. Que caia a Bastilha! Aquele Olivetto com a sua eterna cara de cu e essa tia aí merecem uma ovada na cara. É que são insignificantes e só têm eco em veículos como a Folha que ainda dá palco para esse tipo de elite e despreza os artistas tidos como populares e que lotam shows Brasil afora e são campeões de vendas no streamming. Pra esses não tem coluna e nem podcast.

    ResponderExcluir
  5. E o Brasil que dá certo os neoliberalóides fascistas querem destruir: https://www.cartacapital.com.br/politica/a-capital-da-ursal/

    ResponderExcluir
  6. O fato de o governo FHC ter tentado repatriar Renée e dar-lhe um cargo diplomatico é a parte mais podre da manutenção da opressão social no Brasil. O poder SEMPRE mantém os privilégios da elite. Assistência diplomatica à emprega sequer foi cogitada...

    ResponderExcluir