segunda-feira, 18 de julho de 2022

MEU ARQUITETO FAVORITO

Ontem me bateu um arrependimento. Sete anos atrás, quando procurei apartamento para comprar, concentrei minhas buscas na região da Paulista. Não me ocorreu conferir se havia algo disponível no edifício mais bacana de São Paulo, o Bretagne, na avenida Higienópolis. O lugar em questão, que tem um bar de uso exclusivo dos moradores, é minha obra favorita do meu arquiteto favorito, J. Artacho Jurado, que abalou o mercado imobiliário paulistano nas décadas de 1950 e 1960 com seus prédios coloridos. O establishment da época lhe torcia o nariz: Jurado não só não era formado em arquitetura, como seu estilo não seguia o cânone em voga, de construções sem nenhum adorno. Era, de certa forma, o anti-Niemeyer, que sempre se preocupou mais com a beleza da obra no papel do que com o conforto e a praticidade de seus usuários na vida real. Os prédios de J. Artacho Jurado eram criados sob medida para o ser humano: têm piscinas, terraços, vistas panorâmicas e caixas d'água que parecem saídas de um episódio dos Jetsons. A crítica não gostava, mas o público, sim: seus lançamentos se esgotavam na planta. Hoje finalmente valorizado, esse gênio é o tema de uma boa exposição, "Artacho Jurado, Arquiteto?", em cartaz na Chácara Lane aqui em SP. A mostra, que deveria ter fechado em abril, fica em cartaz até domingo que vem, 24 de julho. Vá lá se você puder, e se arrependa você também.

22 comentários:

  1. Acho que já podemos desabafar em 2022 que Niemeyer não foi tudo isso, né? E que a escola de arquitetura da FAU-USP é responsável pelas grandes merdas construídas em São Paulo. Poucos se salvam daquele brutalismo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Era tudo isso,sim,João.Hoje,se estivesse
      vivo,mandaria o Mijair e a nossa elite a
      merda,com seu bom humor mal-humorado.

      Excluir
    2. Niemeyer sempre foi anti-fascista,João.
      Muito mais que certos arti$ta$ por aí.

      Excluir
    3. Eu gosto do Niemeyer até certo ponto. Até Brasília. Depois...só Deus salva...

      Excluir
    4. O que ele fez em Niterói,mudou a
      cara da cidade-no bom sentido.

      Excluir
    5. Já viram a Catedral Metropolitana de Belo Horizonte? Aquilo lá é uma violação dos direitos humanos visuais. Está em construção.

      Excluir
    6. Pior é o prédio do Masp.Aquilo tem cara
      de shopping,não de museu.Sem falar no
      vão livre,que é o nosso maconhódromo-
      antes da Cracolândia surgir.

      Excluir
  2. Moro em um dos prédios dele - não é o Bretagne, mas adoro! Obrigado pela dica!

    ResponderExcluir
  3. Frequento um fórum de arquitetura chamado Skyscrapercity. Certa vez os prédios de Artacho foram mostrados no fórum geral.. a recepção não foi nada boa. Os adjetivos eram silly, funny, deselegante, anti estético, outros apostaram que eram na Coreia do Norte ou no Vietnam. Tem coisas que só tem importância para paulistas, como o culto aos Bandeirantes, a Semana de 22, Monteiro Lobato e Artaxo Jurado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Semana de 22 foi importante pro
      Brasil,menos pros cariocas enjoados.
      Monteiro Lobato,idem.E falar adjetivo
      em inglês é pura vira-latice.

      Excluir
    2. Não sou carioca. "Anyway", o único participante da Semana de 22 que conquistou reconhecimento internacional relevante foi um carioca convidado: Villa Lobos.. executado até hoje por todas as grandes coisas orquestras do mundo. Os demais participantes foram solenemente ignorados.

      Excluir
  4. O Niemeyer chamava o Stalin de "nosso paizinho".

    ResponderExcluir
  5. O Mio Babbino Caro
    Mostrar-me um arquiteto que elogie o "Partido" alheio e eu te mostrarei ex-viados.

    ResponderExcluir
  6. Condomínio no Bretagne deve ser caro hem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei, porque são vários blocos e vários apartamentos por andar. Tem apartamentos de diversos tamanhos.

      Excluir
    2. Consominio 1800... apto por 2 milhoes

      Excluir
  7. Sei que vc morou com o Oscar nos jardins antes de ir para Higienópolis, mas quando morava com sua mamis morava perto da paulista?

    ResponderExcluir
  8. Sou um advogado apaixonado por arquitetura... Sigo o Raul Juste Lores só pq ele mostra que essa paixão pode pertencer a qualquer um; outro dia inclusive, seu marido estava comentando num post dele no instagram sobre uma oficina mecânica que funcionaria embaixo de um desses predinhos em São Paulo... rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gosto do canal do Raul Juste Lores no YouTube, sempre assisti. Aliás, o Bretagne está entre os 10 prédios residenciais favoritos dele em SP.

      Excluir