terça-feira, 12 de julho de 2022

COREIA SE ESCREVE COM EMMY

Quem diria que um pequeno país asiático, espremido entre dois gigantes e com uma língua que ninguém mais fala, é a mais nova potência cultural? Nos últimos anos, a Coreia do Sul emplacou nada menos que a banda mais popular (BTS), o filme mais premiado ( "Parasita") e o reality show mais vendido ("The Masked Singer") do mundo. Agora ela consegue a façanha de ter a primeira série em língua não-inglesa indicada às principais categorias do Emmy. Não o Emmy Internacional, voltado à produção do resto do mundo, mas o Emmy "normal", onde competem os pesos-pesados da indústria americana e uma ou outra série britânica. Essa conquista deveria calar a boca dos babacas que ainda gritam "acabou a mamata!", pois foram os mecanismos de incentivo à cultura que deram essa pujança toda à Coreia do Sul. Lá, o soft power é levado a sério e reverte em divisas para o país; aqui, o gado seguidor do Genocida acha que tudo se resolve à bala, como se ainda estivéssemos no século 17. Não sei se "Round 6" tem grandes chances, mas torço por ela contra "Sucession", cuja terceira temporada foi um marasmo, ou "Ruptura", da qual eu só vi o primeiro episódio (OK, vou dar mais uma chance). Mas não vou ficar triste se a vitória couber à sexta e última safra de "Better Call Saul". Dá para acreditar que o spin-off da premiadíssima "Breaking Bad" nunca levou um único Emmy, nem nas categorias técnicas?

7 comentários:

  1. Round 6 está no Emmy pq é produzido pela Netflix. Se ele fosse uma produção puramente Coreana ninguém sequer saberia da sua existência.
    BTS está em pausa porque seus membros vão ter que servir o exército de lá.

    ResponderExcluir
  2. Não discordo de vc, mas é preciso lembrar que a Coréia é um país altamente industrializado, rico mesmo. Lá não tem gente passando fome como aqui (não que o governo daqui esteja deixando de gastar com cultura para alimentar o povo, mas enfim, são realidades distintas...)

    ResponderExcluir
  3. Sim, Tony. Dê mais uma chance para "Ruptura" e cone se ficou também passado com o final. No início parecia chata, mas depois...

    ResponderExcluir
  4. Como dizia um slogan da Holanda, "pequeno país, grandes oportunidades".

    ResponderExcluir
  5. A Coreia do Sul é considerada o país mais infeliz do mundo pelos próprios habitantes junto com as maiores taxas de suicídio. Grandes corporações dominam o mercado, a competição é feroz desde a infância, pessoas altamente qualificadas têm sub empregos e o ambiente de inovação é pequenos negócios não é bom, tudo parte dos gigantes. É o lugar onde mais se trabalha no mundo, a vida social e familiar é colocada em segundo plano.

    ResponderExcluir
  6. Ruptura é muito bom! O início é bem devagar mesmo, mas é muito mais fácil de assistir do que os 5 primeiros episódios de Westworld, por exemplo.

    ResponderExcluir