sexta-feira, 29 de julho de 2022

CATARATAS DE VÔMITO

Mais um personagem sinistro passou a frequentar o noticiário nos últimos dias. Trata-se de Rodrigo Martins de Mello, vulgo Rodrigo Cataratas - um nome digno de bandido de novela do Aguinaldo Silva. Pois o sujeito é mesmo bandido: o auto-intitulado empresário na verdade comanda um grande esquema de garimpo ilegal em Roraima, invandido terras dos yanomâmi e atentando contra helicópteros da Polícia Federal. Mas posa de paladino da pátria, sempre enrolado na bandeira nacional. Claro que ele não está defendendo o país, e sim invocando a proteção do bandido-mor, o Miliciano. Essa bandeira nas costas dele é a mesma em que Bebel Gilberto sambou, não o símbolo de todos os brasileiros. É uma bandeira que merece ser pisoteada, esfaqueada e vomitada em cima.

11 comentários:

  1. Excelente. Uma pena a Bebel ter voltado atrás, em vez de bancar o que fez. Ela tem o endosso de muita gente que pensa igual e de qualquer forma creio que não deva satisfações a ninguém.

    ResponderExcluir
  2. O Mio Babbino Caro
    Homem, Branco, Cis, provavelmente Hétero... Há algum tempo o perfil comum dos maiores inimigos da humanidade já foi detectado. Só falta cortar a crina desses bandidos, colocá-los em seus devido lugares e informá-los que os demais habitantes da terra se cansaram e informa-los que a festa acabou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem muito viado branco que suprimi o "Hetero" e fica nesse meio passando por palhaço...
      G-

      Excluir
  3. Esse cara é um bandido. Agora a Bebel Gilberto, moradora dos Estados Unidos e que nem sabe onde fica o Jabaquara, pisou justamente na bandeira que ele representa? Tony, você realmente cai nessas patacoadas de artistas sem expressão que causam para aparecer? Tão esperto e tão ingênuo! Não misture as coisas. Espero que o sujeito vá preso e que essa cantora seja ao menos denunciada pelo Ministério Público e que preste algum serviço comunitário para deixar de ser otária. Obviamente nada vai acontecer nos dois casos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Denunciada por quê? Que bobagem.

      Excluir
    2. Desconhecer a expressão de Bebel só mostra sua limitação cultural. E por que caralhos ela precisa saber onde fica o Jabaquara? Ela sabe onde fica Ipanema, onde compôs com Cazuza “Eu preciso dizer que te amo”, por exemplo. É menos brasileira por isso? Se soltar Tarcísio no M’Boi Mirim ele não consegue chegar na Av. Paulista, idem Dudu Bananinha e Mario Frias, e nem por isso deixam de estar disputando cargos públicos por SP…

      A bandeira do Brasil foi apropriada pelos bolsonaristas e tomou outra conotação. Já não simboliza uma nação, mas um movimento de ódio encabeçado por homens brancos ressentidos, ávidos por praticar revanchismo contra direitos duramente conquistados por qualquer minoria (algumas mais que outras, sabemos quais), e que acham que outros estão roubando o espaço que é deles “por direito”, porque sempre foi assim e assim deve continuar. Nostálgicos de quando era ok chamar o preto que incomodava de neguinho, atazanar a vida do vizinho gay e bater na mulher quando estivesse de saco cheio. Bebel sambou alegoricamente em cima disso tudo. Tem meu aplauso. Pode me chamar pra sambar, pisar, rasgar e tacar fogo em qualquer emblema de racismo, homofobia e misoginia. Não passarão.

      Excluir
    3. É só criar um fato novo para dar uma requentada na carreira. No caso dela, inexpressiva. É ex paquita que lutou contra a depressão, ator que ninguém conhece que saiu do armário, cantora sem sucesso que tira o sobrenome e por aí vai.

      Excluir
  4. O (falso) patriotismo é ultimo refúgio dos canalhas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus nos proteja dos cidadãos de bem.

      Excluir
    2. Mas no Brasil é o primeiro.

      Excluir