quinta-feira, 23 de junho de 2022

WANDA MAXIMOFF NO MULTIVERSO ALHEIO

Uma ds vantagens de ter Disney+ é não precisar torrar uma grana para assistir no cinema às bobajadas do Universo Cinematográfico Marvel. Consigo ver no conforto de meu lar, aliviado por não ter saído de casa por causa dessas besteiras. A mais recente delas é "Doutor Estranho no Multiverso da Loucura", que chega à plataforma um mês e meio depois de ter estreado nas salas. O filme tem sequências espetaculares,  elenco incrível e montagem elaboradíssima, que me impactou ainda mais que os efeitos visuais. E no entanto, mesmo assim, é perfeitamente dispensável. O argumento é semelhante ao do infinitamente superior "Tudo em Todo o Lugar no Mesmo Tempo": alguém está colocando em perigo a existência de todos os multiversos. No caso, este alguém é Wanda Maximoff, a Bruxa Escarlate, que só quer ir para um lugar onde ela seja a mãe de seus filhos imaginários. Wanda é, de longe, o personagem mais interessante do panteão da Marvel. É a mais humana de todos, apesar de seus poderes quase infinitos. O maior deles é algo que tentamos fazer todos os dias: criar uma realidade própria, só com a força do nosso pensamento. E, assim como nós, às vezes Wanda consegue, noutras, não. Ela merecia um filme exclusivo, e não ser a vilã do segundo longa estrelado pelo insosso Doutor Estranho. Eu simplesmente não consigo torcer contra a protagonista de uma melhores séries do ano passado, a alucinante "WandaVision".

3 comentários:

  1. Eu sei o motivo de você gostar tanto de WandaVision. É por causa da homenagem as sitcoms, né?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma temporada de WV é melhor que
      todas as novelas que fizemos aqui,Renato.

      Excluir
  2. Wanda é só mais uma mulher louca que só causa problemas para si e para os outros, no caso, problemas enormes devido aos seus super poderes.

    ResponderExcluir