quarta-feira, 29 de junho de 2022

UM FURO NO DESPREPARADO

Incomodado com as reportagens sobre seu esquema de fake news, Biroliro disse no cercadinho que a jornalista Patrícia Campos Mello estava disposta a "dar o furo" em troca de informações. Ela então o processou por danos morais, e ganhou na primeira instância. Ao invés de pagar logo a indenização devida e deixar o caso morrer  por ali, o Bozo preferiu recorrer. Resultado: perdeu também na segunda instância, por quatro votos a um, e ainda teve a indenização aumentada para 35 mil reais. O pior é que o veredito saiu bem no dia em que o presidente da Caixa Econômica caiu, atingido por inúmeras acusações de assédio moral e sexual. Ou seja: o sonho de atrair o voto das mulheres, uma das parcelas da população que mais rejeita o Despreparado, ganhou mais um furo. Ou melhor, um rombo.

5 comentários:

  1. Ele ainda pode recorrer no próprio Tribunal de SP e no STJ e STF, o caso não acabou. Como o julgamento não foi unânime, foi somente na turma do Tribunal, ele recorre ao Pleno do Tribunal. Este caso ainda vai perdurar por vários anos ainda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não cabe recurso para mudança de teor da decisão no TJSP. STJ só costuma mudar decisão quando o valor tá exorbitante ou pequeno demais. STF em tese não teria motivo para analisar.

      Excluir
    2. Até existe lá o art. 942 que tem uma redação nebulosa e não sei se tem surtido efeito. É mais provável embargarem (embargos de declaração) para depois recorrerem ao STJ. Acho difícil o STJ mudar a decisão. Talvez mude o valor.

      Excluir
  2. Eu casaria com esta moça (eu e a torcida do Corinthians).

    ResponderExcluir