quinta-feira, 30 de junho de 2022

TUTUS EM POLVOROSA

O Festival Varilux deste ano trouxe, além de vários filmes, séries francesas em sua programação. Vi todos os trailers e me interessei por "L'Opéra", mas não quis ir ao cinema para ver série, né? Tem limite. Felizmente, "L'Opéra" chegou esta semana ao Globoplay, com o subtítulo "Nos Bastidores do Balé". Porque, na verdade, não é sobre ópera, e sim sobre o Balé Nacional da Ópera de Paris, sediado no suntuoso Palais Garnier (que, antes da construção da Opéra Bastille, era conhecido apenas como Opéra). Como em qualquer companhia de dança top, a competição interna é feroz, e é daí que surgem os problemas. Os três protagonistas estão em diferentes estágios da carreira. Zoé é uma "étoile", uma prima ballerina, que enfrenta um fim de carreira precoce. Por causa de várias lesões, ela não rende mais o esperado. E ainda dá vários tiros no pé ao levar uma vida desregrada, enchendo a cara na balada quase todo dia. A iniciante Flora é a única negra em um mar de branquitude, e leva porrada do racismo o tempo todo. Já Sébastien é um ex-bailarino, hoje coreógrafo e diretor da porra toda. Ele tem que lidar com os cortes no orçamento, as birras das estrelas e uma chefona implacável. Não há vilões declarados: os conflitos são todos legítimos e orgânicos, e muitas vezes o maior inimigo do personagem é ele mesmo. Assisti aos oito episódios em três dias, e estou radiante em saber que a segunda temporada já foi filmada.

9 comentários:

  1. O Brasil precisa de um filme sobre Leo Dias e sua grande carreira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Personagem de fato, ele se tornou.
      A notoriedade dele como jornalista fora da TV, realmente é curiosa.

      Excluir
    2. 23:51-Filme sobre gente escrota com
      o nosso dinheiro?PUTA QUE PARIU.

      Excluir
    3. Nem todo filme sobre alguém é a favor desse alguém.

      E "nosso dinheiro"? Mais um que não entende como funcionam os mecanismos de incentivo à cultura?

      Excluir
    4. Filme falando sobre bozistas nós não
      precisamos,Toninho.E algum arrombado
      bozista poderia usar nossa grana pra
      fazer um filminho exaltando este pseudo-
      jornalista-filme sobre um Chico ou Caetano
      não pode pra eles-porque "eles comem
      criancinhas",são "maconheiros" e outras
      fake news de gente escrota.

      Excluir
    5. 23:51-Filme sobre a "carreira" de quem,
      cara-pálida?Um "jornalista" escroto???
      E bozista ainda por cima???Help!!!!

      Excluir
  2. Eu compraria a G Magazine do Léo Dias se estivéssemos em 2005

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pela dica, estou começando agora a assisti-la!

    ResponderExcluir