sexta-feira, 24 de junho de 2022

O ABORTO DE UM DIREITO

Donald Trump deixou a Casa Branca há quase um ano e meio, mas seu legado destrutivo ainda pode durar um bom tempo. Em apenas um mandato, o Bebê Laranja conseguiu emplacar três juízes ultraconservadores na Suprema Corte. O resultado está aí: hoje a histórica decisão do caso Roe vs. Wade, de 1972, foi revertida por seis votos a três. O aborto, no entender dos reacionários, não é um direito garantido pela constituição americana. A interrupção da gravidez vai se tornar ilegal em cerca de 18 estados, e é claro que as mulheres pobres, que não têm dinheiro para viajar, serão as mais prejudicadas. Esse revertério só acabará quando o Congresso aprovar uma lei federal permitindo o aborto, mas esse dia ainda parece longe. Aqui no Brasil, onde o debate não avança, Damares e sua gangue comemoraram, mas não enganam ninguém com esse papinho pró-vida. Como ficou claríssimo no caso da garota catarinense, quem é contra o aborto em qualquer caso é, na verdade, a favor do direito ilimitado de reprodução dos homens. As mulheres são obrgadas a carregar e criar os filhos deles, mesmo que muitos jamais tomem conhecimento da prole. Quem é contra o aborto legal, na verdade, é a favor do aborto clandestino e perigoso. Ponto.

9 comentários:

  1. Ponto. Nem mais, está tudo dito.

    ResponderExcluir
  2. Tony, porque o debate não avança no Brasil, quando outros países sul americanos estão bem mais a frente?

    ResponderExcluir
  3. O Mio Babbino Caro
    Me mostre um Conservador e eu te mostrarei a Direita!!!

    ResponderExcluir
  4. Sinto pelas americanas!
    E só consigo lembrar do Brasil, do casamento gay, do crime de homofobia, e dos gays FDP que votaram e votam em Bolsonaro e podem prejudicar a vida de todos!

    ResponderExcluir
  5. Com uma constituição de 250 anos que vive à base de emendas e decisões conflitantes da SCOTUS, os direitos fundamentais viram pedra-pomes num castelo de areia de interpretações políticas. E se é pra ser direito fundamental, não pode ser tão frágil assim.

    ResponderExcluir
  6. Como andam as pesquisas com úteros artificiais?
    Precisamos investir fortemente nisso.
    O mundo ficaria muito mais justo se as crianças passasem a nascer de dentro da barriga de um robô.

    ResponderExcluir
  7. Tô nem aí para o aborto feminino, ainda hoje os homens não têm autonomia de não querem ter filhos, se uma mulher engravidar um homem é obrigado a pagar a pensão, os homens são obrigados a lutar em guerras e morrer como está acontecendo na Ucrânia onde são impedidos de deixar o país e ninguém tá nem aí, hoje as mulheres têm pilulas anticoncepcionais e diversos métodos ou podem apenas fechar as pernas não é o que falam para os nós que não temos direito ao sexo?

    ResponderExcluir
  8. Se as mulheres são maioria em nossa população, o que falta para elas começarem uma revolução, onde mulher só vota em mulher?
    Nos gays daremos o maior apoio e contribuição pra acabar com o patriarcado em Brasília.

    ResponderExcluir