sábado, 25 de junho de 2022

BOLA DENTRO

Richarlyson era visto com uma certa frequência em boates e saunas gays de São Paulo uma década atrás. O ex-jogador nunca manteve sua sexualidade trancada entre quatro paredes, e isto acabou prejudicando-o. A fama de gay se espalhou, e torcedores do Palmeiras fizeram uma bem-sucedida campanha para que ele não fosse contratado pelo clube em 2011. Prestes a se tornar comentarista na Globo, Richarlyson deu ontem um grande passo, se declarando bissexual no primeiro episódio do podcast "Nos Armários dos Vestiários". Até onde eu sei, é o primeiro futebolista brasileiro a se assumir não-hétero - e precisou estar aposentado dos campos para fazer isto. É uma vergonha: enquanto que na Europa tem até jogadores gays que são ídolos da torcida, aqui o povo ainda prefere um perna-de-pau machão do que um craque aviadado. Richarlyson agora deu uma bola dentro, e que ela siga rolando até nós ganharmos de goleada.

19 comentários:

  1. Não acompanho futebol, mas os comentários que mais li foi que ele era um craque, mas nunca se tornou um ídolo das torcidas dos times que passou por causa disso.
    Tudo bem, agora ganhei mais ídolo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Richarlyson não era exatamente um craque, mas era um jogador raçudo, dava carrinho, brigava pelo time, era muito esforçado ,mas tinha suas limitações técnicas, por isso não se firmou na seleção brasileira, mas ele foi tri campeão brasileiro pelo São Paulo e eu achava super injusto a torcida desse time não gritar o nome dele, ele queria se assumir quando ainda jogava, eu lembro que na época foi anunciado que isso ocorreria em uma entrevista ao Fantástico, porém o presidente do SPFC Juvenal Juvêncio impediu, antes do Richarlyson jogar lá o São Paulo já era chamado de ´´time de bambi´´ pelo estereótipo de seus torcedores serem membros da elite,´´mauricinhos´´ , então ele temia que um jogador assumidamente LGBT no plantel reforçasse essa alcunha.

      Excluir
  2. Apesar de não ter assumido antes, todo mundo desconfiava e não acho que ele tenha sido prejudicado por essa suspeita. Ele teve uma carreira muito bem sucedida por times da primeira divisão e chegou a ser convocado pela seleção o que é dificílimo. Ele não foi convocado mais vezes porque o nível técnico do futebol daqui é muito alto e tinham jogadores melhores do que ele na posição. Diferente fo comentário acima, ele não foi um craque injustiçado, mas um jogador muitíssimo bom que chegou muito longe na carreira, e não acho que poderia ter ido além do que foi por questões técnicas. Ele é filho do Lela e irmão do Alecsandro que eram muito bons e teve uma carreira mais bem sucedida do que os dois, por exemplo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, não é isso que a maioria dos marmanjos que acompanham futebol estão falando nas redes.
      Seu comentário parece desmerecer ele, tentando diminuir seus feitos "embora ele tenha sido muito bom", fingindo que ele nao sofreu a homofobia mais horrenda enquanto estava na ativa. Mas esse comportamento se tornou rotineiro entre os gays, pelo menos estamos sendo acolhidos pelos héteros esclarecidos.

      Excluir
    2. Até hoje gozam o Cleber Machado
      da Globo por ter dito um suposto
      "Bicharlyson"....isso faz tempo.

      Excluir
  3. Pois eu nunca vou esquecer a entrevista exclusiva que ele deu ao fantástico para afirmar com todas as letras que não era gay. Vergonhoso para a nossa classe e (talvez) humilhante para ele. Estou falando dos anos 2000, não de 1980. "Bissexual" é cool. Igual o Gianecchini. Ainda dá pra posar de macho comedor. Vai se montar de drag ou virar trans pra ver o que é coragem e superação.
    Em tempo: até o Rei Pelé já revelou brincadeirinhas nos vestiários.
    E mais: o futebol segue com uma torcida bastante machista e VIOLENTA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bissexual não é cool, é uma orientação sexual

      Excluir
    2. 17:04 - A última frase do seu post explica a primeira.

      Excluir
    3. Em tempo: até o Rei Pelé já revelou brincadeirinhas nos vestiários.

      Link?

      Excluir
  4. Tony na Europa tbm não há jogadores gays ídolos da torcida, mesmo que a Europa no geral seja um continente menos homofóbico que a América do Sul, os jogadores gays de lá como Oliver Rouyer da França e Thomas Hitzpelger da Alemanha que foram jogadores de destaque, ídolos, o Rouyer chegou a disputar a Copa do Mundo e o Hitzspelger jogou na seleção alemã mas só se assumiram depois de aposentados, o único jogador de destaque que se assumiu no auge da carreira foi o inglês Justin Fashanu no ano de 1991 e depois sua carreira praticamente acabou, foi jogar em times pequenos da Inglaterra e dos EUA, país onde o futebol até hoje não é popular e infelizmente teve um fim trágico, entrou em depressão e cometeu suicídio e os demais jogadores gays europeus que jogam atualmente todos jogam em times pequenos das divisões inferiores,o Anton Hysen da Suécia ,o Liam Davis da Inglaterra e o Jake Daniels que joga no Blackpool da Inglaterra que se assumiu esse ano,o Blackpool é um time pequeno, nem participa da Premier League,mas ele é jovem e promissor,pode vir a ser um ídolo,mas eu que sou um gay que acompanho futebol posso afirmar que infelizmente o esporte é homofóbico até na avançada Europa ,nenhum jogador LGBT é ídolo nacional por lá.

    ResponderExcluir
  5. O Vanderlei Luxemburgo em uma entrevista quando perguntado se já tinha treinado algum jogador gay disse que quando treinou o Flamengo em 1995 tinha um goleiro homossexual nesse clube e até disse o nome, Emerson Ferreti,mas o Emerson Ferreti não confirmou ser gay

    ResponderExcluir
  6. Outro jogador de futebol que se assumiu gay durante a sua carreira foi o norte americano Robbie Rogers,atualmente casado com o Greg Berlanti,roteirista de séries como Dawson's Creek, Everwood e produtor executivo de Riverdale, ainda que o soccer não seja tão popular nos EUA,ele defendeu uma das maiores equipes do país,o LA Galaxy,onde até o David Beckham já jogou e disputou algumas partidas pela seleção nacional de seu país,mas ao se assumir gay sua carreira estagnou e ele se aposentou aos 29 anos,bem cedo,pq a maioria dos jogadores se aposenta a partir dos 35 anos.

    ResponderExcluir
  7. E o Richarlyson não é o primeiro jogador profissional do futebol brasileiro a se assumir membro da comunidade LGBT, antes teve um goleiro xará do craque argentino Messi, mas ele defendia o Palmeira de Goianinha um pequeno time que disputava a segunda divisão do campeonato estadual potiguar, então a saída do armário do Messi brasileiro não foi tão comentada na época.

    http://ge.globo.com/futebol/noticia/2010/10/goleiro-assume-homossexualidade-e-enfrenta-preconceito-no-interior-do-rn.html

    ResponderExcluir
  8. Eu encontrei o Richarlyson uma vez na Termas Fragatas, em Pinheiros, por volta de 2010. Muito simpático e cumprimentando a todos do staff com beijos e abraços, dos atendentes aos michês, pareceu ser habitué da casa. Falou também com os poucos clientes que o interpelaram - frequentador de sauna é, em geral, mais low profile nesse aspecto. Ok, não causou espanto a ninguém, mas na época fiquei perplexo em como um famoso no armário topava se expor daquela forma, mas acho que o desejo, como quase sempre, se impôs. Mesmo assim nunca soube de ter vazado uma foto sequer. Saudades dos bingos de domingo da Fragata comandados por drags do barulho! Outro famoso que encontrei aprontando bastante em sauna, mais ou menos pela mesma época, e também muitos anos antes de se assumir, foi o Luiz Fernando Guimarães - nesse caso na Sauna Rios, no Barris, em Salvador.

    ResponderExcluir
  9. Ichi! Acho que essa história vai longe

    ResponderExcluir
  10. Seu blog caminha a passos largos para o limbo onde já se encontram seus contemporâneos … Um mês sem vir aqui e percebo que nada perdi. Sono…

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 16:41 : Do limbo saiu você. Trate de voltar para lá.

      Excluir
  11. O Mio Babbino Caro
    Justin Fashanu pagou com sua vida o preço de ser o primeiro jogador a se assumir gay a ter seu passe vendido na casa do milhão de libras. E desde então ao contrário de sua citação não temos ídolos gays dessa grandeza no futebol mundial. Richarlyson tricampeão brasileiro pelo São Paulo foi fulminado pela homofobia nos estádios e ainda esperamos o ídolo futebolístico a quebrar esse paradgma.

    ResponderExcluir