segunda-feira, 2 de maio de 2022

HOMOFOBIA É COISA DE MUSEU

Outubro está chegando e os políticos birolistas estão em polvorosa, tentando criar factóides para se reelegerem. Gil Diniz, deputado estadual pelo PSL de São Paulo, conseguiu: fechou o pequeno Museu da Diversidade Sexual, que funcionava dentro da estação República do metrô. Conhecido pela alcunha de Carteiro Reaça, o ruminante achou que os 30 milhões que seriam destinados ao museu pelos próximos cinco anos eram demais para um lugar ligado à causa LGBTQIA+. Essa grana incluía até as obras de ampliação do MDS, mas Diniz foi em frente e fez uma denúncia de malversação de fundos à Justiça. Resultado: o Instituto Odeon, que administrava o museu, teve seu contrato suspenso temporariamente. Tudo ainda pode ser revertido, mas o Reaça já está se gabando de ter fechado o "museu gay" de São Paulo, fingindo que fez alguma coisa em seu mandato. Mal sabe ele que, em breve, sua homofobia escancarada é que se tornará peça de museu. A história não é linear, mas nunca anda para trás por muito tempo.

3 comentários:

  1. Agora a gente tem que fazer uma mobilização nas redes para que esse episódio seja logo mostrado lá mesmo no museu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagine se fechasse um museu sobre os
      judeus,por exemplo.Mandariam até o
      Mossad e o Exército de Israel pra cá só
      pra ter uma conversa tete-a-tete com
      este reaça aí....

      Excluir
    2. Excelente idéia! Apoio!

      Excluir