domingo, 1 de maio de 2022

ARMINHAS FLOPADAS

Fui passear de manhã com meu cachorro na Paulista, como faço todos os domingos. Para minha supresa, a avenida não estava fechada para o trânsito de veículos. Eram umas 11h30, e os poucos minions que já circulavam por lá eram, na maioria, velhos de mais de 70 anos. Um deles trajava uma camiseta onde se lia: "não é sobre armas, é sobre liberdade". Liberdade de quê? De burlar a fiscalização e disparar por descuido no aeroporto de Brasília? Também me chamou a atenção a quantidade de ambulantes vendendo minionabilia. Tinha muita bandeira de Israel, já que ninguém avisou esses caras que o Netanyahu perdeu as eleições e o país agora é governado por uma coalizão que inclui até partidos árabes. Também tinha muita camiseta horrorosa, e nenhuma mais feia do que a que ilustra este post. Que deus é esse que apoia a liberação das armas? Marte, o deus da guerra? O ato pró-Bozo só rolou no meio da tarde, e pela TV deu para ver que o gado mal ocupava duas quadras. Não importa: já estão dizendo que eram quatro milhões de pessoas, mais do que a população de Salvador. Claro que o Despreparado não seguiu os conselhos de ficar na moita. Deu as caras em Brasília, onde a vastidão da Esplanada dos Ministérios não escondia o flop da manifestação, e falou por vídeo para os descerebrados na Paulista. Assim como no 7 de setembro, esses atos ficaram muito aquém do esperado, e mostraram mais uma vez que não há apoio popular suficiente para o golpe que querem dar em outubro. Mas será que isto basta para o Edaír desistir?

6 comentários:

  1. Tony,querem fechar o Museu da Diversidade
    em SP-por causa de um deputado estadual
    bozista-nem vou escrever o nome dele aqui-
    mas tem tudo a ter com teu texto acima.

    ResponderExcluir
  2. Às vezes é difícil acreditar no que está acontecendo, meu ex personal que é pobre queria tirar porte de armas. Uma vez deu motivos tipo o cara mata e só fica 2 anos na cadeia, ninguém avisou ele que também morre quem atira e que ninguém vai tentar sequestrar e matar um ferrado como ele, isso não tem nada a ver com armas com liberdade ou segurança mas com uma crescente insegurança masculina, lobby da bancada da bala cansada de vender arma só pra matar Marielles. Enfim eu não acreditei quando o povo começou a falar que ia votar em Bolsonaro as pessoas estão cada vez mais burras, qual foi a última pessoa que vc conheceu que leu um livro??????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 00:48 Eu conheço um grandegrupo de pessoas que continuam lendo livros.
      Um dos últimos livros que eles leram foi: "Como Vencer Um Debate Sem Precisar Ter Razão" por Olavo de Carvalho.

      Excluir
  3. O Mio Babbino Caro
    Off-topic
    Se já tá bão meu Irmão?

    ResponderExcluir
  4. Minion não sabe que em Israel o aborto é mais flexível na legislação, que lá weed também é mais flexível e é um país muito lgbt friendly e é o 8° país menos religioso do mundo. Aliás Tony, vc não tem medo de ser reconhecido como colunista da Folha?

    ResponderExcluir
  5. "Marte, o deus da guerra".
    Taí. É isso. Esse é o deus a quem servem os crentes bolsonaristas. Como é que eu não me toquei disso antes? Sempre procurei uma definição para esse tipo de crente. São adoradores de Marte, de Ares. Não de Jeová, de Jesus. Eles só não admitem porque é pecado ter outro senhor diante de Jesus. Mas Jesus sabe. Jesus tá vendo.

    ResponderExcluir