sábado, 30 de abril de 2022

SOM NA CAIXA

Virei o ano em São Sebastião. Um dos programas daquela semaninha de férias foi passar um dia na Praia da Fome, no litoral norte da Ilhabela, que só tem acesso pelo mar. Chegamos cedo, quando ela ainda estava vazia. Mais barcos foram surgindo e, lá pelas tantas, uma família de farofeiros achou que tudo bem instalar uma caixa de som imensa na areia, transformando aquele paraíso num baile funk. Não foi só lá, evidentemente: as caixas de som invasivas se espalharam por todo o litoral do Brasil, incomodando mais que os borrachudos. Esta semana finalmente o prefeito Eduardo Paes resolveu proibi-las no Rio de Janeiro, mas a aprovação não foi unânime. Fiquei pasmo de ver na TV gente defendendo o sagrado direito de ouvir música no último volume num espaço público, e foda-se quem estiver por perto. Aliás, "espaço público" é um conceito que escapa à maioria dos brasileiros, que acham que podem fazer o que quiserem nesses lugares. Ainda teve quem problematizasse a proibição dessas trombetas do inferno, acusando o prefeito de racista e elitista. A que ponto chegamos? Desde quando a falta de educação, de civilidade, de cidadania, virou direito inalienável?

11 comentários:

  1. Li sua resenha sobre mudanças no BBB 22 para revigorar o programa sem depender só do elenco, a mais criativa é justamente a mais difícil: o participante falso. Por exemplo, como esse participante votaria? Como ele interagiria com os outros participantes neste momento extremamente tenso do programa? Rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele não votaria. Por isto mesmo, nunca poderia ser chamado a revelar seu voto. Interagiria à vontade, mas não poderia namorar ninguém. É fácil: só dizer que é casado aqui fora.

      Excluir
    2. Eu sou do tempo que a Globo passava
      programas melhores como os Concertos
      Internacionais.Agora,o BBBesta virou
      até assunto da Jovem Pan.Decadência....

      Excluir
    3. Acho elitista sim! Se o som está te incomodando chega pra pessoa e pede pra ela abaixar

      Excluir
  2. Vai lá no Parque Villa Lobos pra ver que delícia .

    ResponderExcluir
  3. Tinha o concertos para juventude, globo de ouro, Paula Saldanha e o Loiola, o sítio do pica-pau, mio e mao, barbapapas, o homem do sapato branco, TV mulher, etc. Infelizmente são programas que ficaram no passado.

    ResponderExcluir
  4. Tony. Vc viu os looks que apareceram no Baile da Vogue? Fiquei meio perdido. Li que o tema escolhido tb tinha a ver com o centenário da Semana de Arte Moderna de 1922. Tipo... Assim... Sou formado em Artes Plásticas e... Não percebi mto a Semana de Arte Moderna ou mesmo arte brasileira. Sou o único? Senti que as celebridades internacionais respeitaram mais o tema do Met Gala e aqui meio que sei lá. Fugiu do tema. Virou causar instagram

    ResponderExcluir
  5. Ninguém nunca inventou um fone de ouvido coletivo??? Tipo um aparelho de som que manda som para vários fones de ouvidos de forma simultânea. Assim, o cara pode escutar música em grupo sem atrapalhar os outros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é está a questão amigo. O problema é falta de educação (escola) e disputa de território.

      Excluir
  6. É a Lei do Desrespeito. Seguida cegamente por brasileiros de todas as classes. Se não puder desrespeitar alguém ou alguma coisa, qual é a graça?

    ResponderExcluir
  7. Som na praia é um saco! Feliz pela minha cidade...que bom que o Rio está liderando. Quer festa? Vai a uma, faz em casa. Espera o carnaval.

    ResponderExcluir