sexta-feira, 22 de abril de 2022

REUNIÃO DE CONDOMÍNIO

Vi meu primeiro filme do diretor italiano Nanni Moretti numa Mostra no final dos anos 80. "A Missa Acabou" contava a história de um padre que tenta fazer sempre a coisa certa em sua paróquia em Roma, mas não consegue. A premissa me pareceu original: não era um planfleto contra a Igreja Católica, era quase a favor. Desde então assisti a todos os longas de Moretti que chegaram ao Brasil, mas nenhum me impressionou tanto. Talvez seu estilo seja sóbrio demais para o meu gosto, chegado num excesso. Ele mantém o melodrama de "Tre Piani" em rédea curta, talvez até demais. O título original, mantido no Brasil, se refere aos três andares de um mesmo prédio onde moram os personagens. É aquele manjado esquema das tramas que se cruzam. Tem o rapaz bêbado que atropela e mata uma senhora; a mulher que vai sozinha para a maternidade, porque o marido está sempre viajando; e o casal cuja filha pequena some por algumas horas com um vizinho idoso, levantando as piores suspeitas. Tudo se passa ao longo de 10 anos, com as crianças crescendo e os mais velhos morrendo. Atores como Riccardo Scamarcio e Alba Rorwacher, da elite do cinema da Itália, têm atuações contidas, e Moretti realmente não precisava ser tão econômico com a trilha sonora, que irrompe raramente. Um pouco mais azeitado, este semi-folhetim de duas horas não daria a impressão de durar quatro.

3 comentários:

  1. Respostas
    1. Foi o único que assisti dele, acho, e me emocionou profundamente.

      Excluir
  2. Esse ator, Riccardo Scamarcio, tem a maior cara de brasileiro.

    ResponderExcluir