segunda-feira, 11 de abril de 2022

DE VOLTA PARA O FUTURO

Entre 2015 e 2018, eu devorei os quatro primeiros volumes de "O Árabe do Futuro", à medida em que ia sendo publicados. Aí baixou o George R. R. Martin no autor Riad Sattouf: ele se envolveu em trocentos outros projetos, e foi deixando para as calendas a continuação de seu opus magnum. O quinto volume finalmente veio à luz no final do ano passado, chegou às minhas mãos em fevereiro, entrou na fila e finalmente foi lido, em menos de uma semana. Como seus antecessores, é uma beleza. O protagonista, o próprio Riad, agora vive sua adolescência em Rennes, na Bretanha, terra natal de sua mãe, depois de uma infância agitada no Oriente Médio. Enquanto isto, seu pai está de volta à Síria, tendo se separado da mãe e levado com ele o filho caçula, à revelia de todos os demais. O jovem Riad vive uma adolescência igual à de muita gente, com paixonites no colégio ao som do rock, e também muito diferente, com a família materna movendo céus e terras para recuperar seu irmão mais novo. Curioso ler este livro no momento em que Marine Le Pen ameaça ser eleita e tornar impossível a vida dos imigrantes na França. Se a madame fascista estivesse no poder há mais tempo, os pais de Riad não teriam se conhecido e o mundo seria privado desta magnífica série de histórias em bande dessinée.

Um comentário:

  1. O Mio Babbino Caro
    Pois é, quantas tristes constatações, mas vamo lá né!

    ResponderExcluir