sábado, 19 de março de 2022

A VERY STRANGE ENCHANTED BOY

Em 1985, fui a Nova York pela primeira vez como um adulto (já havia estado lá duas vezes, aos 10 e aos 12 anos de idade). Me hospedei na YMCA, vi o máximo de peças da Broadway que meu orçamento aguentou e finalmente me aventurei pelo SoHo. Lá, a grande atração era a exposição conjunta de Andy Warhol e Jean-Michel Basquiat, na galeria Tony Shafrazi. Claro que eu não comprei nenhum quadro, mas trouxe o poster ao lado, que enfeitou meu quarto por muito tempo - hoje eu não sei onde o enfiei. Um ano e meio depois, Warhol morreu por causa das complicações de uma cirurgia, com apenas 58 anos de idade. Basquiat se foi em 1988, aos 27, vítima de uma overdose. A relação entre os dois é esmiuçada no quarto episódio de "Os Diários de Andy Warhol", em cartaz na Netflix. A série é um manancial de imagens de arquivo preciosas, mas o mais impressionante talvez seja a voz de Warhol recriada por inteligência artificial, lendo os diários que ele escreveu de 1976 a 1987. Mas já vou avisando que não é para qualquer um: é preciso ter interesse por artes plásticas e pela cena nova-iorquina dos anos 60 aos 80, quando Warhol reinou soberano. Os episódios são longos e cheios de detalhes, e o ritmo não é vertiginoso. Mas quem prestar atenção vai descobrir pérolas como "Blowjob", o revolucionário curta que Warhol rodou em 1964. São nove minutos com a câmera fixa no rosto de um sujeito que recebe sexo oral. O erotismo é um tema frequente na obra de Andy Warhol, mas ele próprio se dizia assexuado, apesar de não ser. Teve dois longos namoros com rapazes bonitões, e mesmo assim ainda se achava indigno. Pior: se achava feio. É verdade que seu traços lembram os de um um boneco de ventríloquo, mas beleza é atitude. Para ser bonito, é preciso se sentir bonito. Pelo menos, Warhol nos deixou uma das obras mais belas e influentes do século 20.

5 comentários:

  1. O Mio Babbino Caro
    D'hora!

    ResponderExcluir
  2. Não consigo me imaginar recebendo um "blow job" por 9 minutos e ainda acender um cigarro "in between".

    ResponderExcluir
  3. Assisti imaginando o texto que vc-magistralmente - faria.Tony vc teria em mente algum nome tupiniquim dessa envergadura digno de um documentário nesse nivel? Digo não somente da obra , mas de todo o contexto de uma época.
    ...ainda não acreditando que você atendeu o pedido.As yags das artes plásticas agradecem e celebram!!

    ResponderExcluir
  4. "Assexuado" se refere a seres que não possuem diferença de sexo no sentido reprodutivo. Acredito que o termo que estavas procurando seja "assexual", alguém que não se interessa por sexo nem sente atração sexual.

    ResponderExcluir
  5. Muito doido viajar numa época em que só os milhardários viajavam

    ResponderExcluir