terça-feira, 1 de fevereiro de 2022

O BONDE DO TIGRÃO

Uma das tradições mais bobas deste blog é a comemoração do ano novo chinês. Hoje começa o ano do tigre - mais precisamente, do tigre de água - e eu não tenho muita ideia do que isto significa. Mas dois bilhões de pessoas não podem estar erradas. As celebrações da efeméride duram uma semana, movimentando toda a China e vários de seus vizinhos. Muita gente viaja para passar o feriado em família, gerando muito dinheiro para a economia e ajudando a espalhar a variante ômicron. Então tenha um bom ano do tigre você também. Use máscara, tome a terceira dose e trate bem as pessoas. A não ser que você esteja fazendo quimioterapia.

11 comentários:

  1. Tony um ótimo ano do tigre para você também. Lembrando que o blog é seu e vc tem o direito de tratar as pessoas como bem entender, com ou sem quimio. E vc nos trata bem demais! Bjsssss

    ResponderExcluir
  2. Não são as pessoas que nascem no ano do tigre não podem ir em festas de casamentos pq dá azar???

    ResponderExcluir
  3. Tony Tigrão! Aliás, ainda existem sucrilhos Kellog's???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim!

      Tony The Tiger era um dos meus apelidos de infância e adolescência, assim como Tony Tornado e Tony Manero.

      Excluir
  4. Pera aí! Aconteceu, Tony! Outro dia vc disse que não há racismo reverso. E de repente a Whoopi demonstra que há, e vira um escândalo. Será que dá para manter a mesma posição?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Ricky Gervais já falou sobre isso. A maioria dos artistas mal completou o ensino médio e têm opinião sobre tudo. Não existe racismo reverso. Existe racismo, gente mal informada, inculta e burra.

      Excluir
    2. Exemplos pontuais não caracterizam o racismo estrutural. Todas as etnias sofrem disso: há quem não goste de ciganos, orientais, havaianos...

      Mas o racismo como um sistema, o famoso racismo estrutural, só existe contra os negros.

      Excluir
    3. Turco na Alemanha sempre foi tratado como lixo, assim como os chamados polacos nos Estados Unidos, os bolivianos aqui, os primeiros japoneses do interior de São Paulo que eram chamados de bode,etc. O racismo estrutural se dá contra os que se submetem porque precisam, os que têm menos poder, menos dinheiro. Não existe só contra os negros.

      Excluir
    4. 16:47-O bairro da Liberdade em SP foi
      fundado pelos negros,ao contrário da
      lavagem cerebral que foi feita por
      aqui sobre isso.

      Excluir
  5. É verdade, foi uma provocação, claro. O Racismo estrutural só existe contra os negros, afinal ninguém perde o emprego por conta do racismo reverso (a única exceção é Whoopi Goldberg), mas ele, em alguns casos, existe! No caso dos judeus no Europa, também era "estrutural", podem ter certeza. E para que fique mais claro, eu mesmo já vivi uma situação dessas, de racismo reverso. As negras da ONG Geledés não aceitam pessoas de pele um pouco mais clara, de jeito nenhum. Suas políticas só valem para negros retintos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A verdade é que só existem humanos. Esse negócio de raça só surgiu no fim do século XIX. Foi uma ideia inventada por cientistas europeus para justificar o imperialismo e o colonialismo na África.
      O racismo em si começou aí. Antes havia a justificativa religiosa para a escravidão, por exemplo, os negros nem eram considerados humanos. Depois do fim escravidão oficial, a "ciência" colocou os negros no grupo dos humanos, mas inventou o conceito de raça, para inferiorizá-los. Um sistema de castas racial em que o negro ocupa o nível mais baixo. Tudo isso foi fabricado. O ser humano deve desfazer-se desses conceitos ultrapassados e admitir que não existe raça, existe a espécie humana como um todo, com suas variantes de melanina provenientes da adaptação ao ambiente ao longo de milhares de anos.

      Excluir