terça-feira, 8 de fevereiro de 2022

FRIENDS COM AUTISMO

Passei anos sem saber que existe um espectro de autismo. Para mim, autistas eram só os casos mais extremos, que quase não interagem com o resto do mundo. Foi só a partir do filme "Rain Man" que eu aprendi que há toda uma graduação, mas o fato é que ainda sei muito pouco sobre o assunto. Por isto ainda me surpreendi com a série "As We See It" (ou "Nosso Jeito de Ser"), disponível na Amazon Prime Video. Não só os três protagonistas estão dentro do espectro do autismo, como seus intérpretes também. O assunto desse remake de uma série israelense é a busca pela independência. O trio central se conhece desde criança, e agora, por volta dos 25 anos, dividem o mesmo apartamento. Mas não estão sozinhos: uma cuidadora vem vê-los todos os dias, e apagar os eventuais incêndios que eles ateiam. Jack é um gênio da computação, mas sua sinceridade desenfreada faz com que ele seja demitido do emprego. Vivian decidiu que está na hora de perder a virgindade, e pergunta aos clientes da lanchonete onde trabalha se eles querem transar com ela. Já Harrison tem medo de sair de casa: buzinas e latidos de cães o deixam petrificado. Algumas situações são mesmo engraçadas, mas outras exasperam as famílias dos três. Algum dia eles conseguirão viver sem tutela, por conta própria? Bom, nem eu aos 61 anos atingi essa meta.

Um comentário:

  1. Eu li que o jogador Messi faz parte desse espectro; e que no caso dele, o autismo até colabora com sua genialidade no futebol.

    ResponderExcluir