quinta-feira, 3 de fevereiro de 2022

DNA-LMODÓVAR

É possível argumentar que toda a cinematografia de Pedro Almodóvar é política. Mas o diretor espanhol nunca foi tão específico como em "Mães Paralelas", que está em cartaz nos cinemas antes de chegar à Netflix daqui a duas semanas. Aqui ele enfia o dedo na maior ferida de seu país: a guerra civil, que deixou milhares de mortos e uma polarização na sociedade qe dura até hoje. Ao mesmo tempo, Almodóvar continua sendo fiel a si mesmo. Ao melodrama, às figuras maternas, às mulheres decididas. A trama principal de seu novo filme é folhetim em estado puro, com surpresas e reviravoltas. Dois bebês nascem no mesmo dia, e suas mães, que dividem o mesmo quarto de hospital, ficam amigas. A mais velha, numa interpretação magistral de Penélope Cruz, também está interessada em abrir uma cova na aldeia de seus avós, onde estão os restos mortais de seu bisavô de vários outros jovens mortos pelos franquistas. É preciso ser um gênio para combinar essas duas histórias num mesmo roteiro, e claro que o genial Almodóvar consegue, com a ajuda de alguns testes de DNA. A Espanha preferiu enviar "O Bom Patrão" para a disputa do Oscar, e o filme estrelado por Javier Bardem, o marido de Penélope, conseguiu ficar entre os 15 semifinalistas. Tem que ser mesmo muito bom, porque este aqui é (mais uma) obra-prima.

8 comentários:

  1. O Mio Babbino Caro
    Senti no ar que você estava naquela sessão das 16;00h também rs
    A crise retratada em ' Dor e Glória', fez bem a Almodóvar.

    ResponderExcluir
  2. Almodóvar continua sendo um dos poucos grandes cineastas no cenário atual.
    Off-Topic:
    Li uma entrevista da Monica Iozzi no UOL, lá diz que foi ela quem mais entrevistou o Bozo no CQC. Lembro na época que eu nem assistia esse programa, por achar apelativo. Ela dizia que mostravam o Bozo para denunciá-lo, mas isso é, no mínimo, ingenuidade, pois todo mundo sabe que falar bem ou mal é propaganda do mesmo jeito. Ninguém pode negar que o Bozo não era nada no cenário nacional antes do CQC. CQC é sim um dos grandes culpados por demonizar a política e afamar Bozo. O povo reaça adorava assistir CQC e o Bozo era um de seus principais heróis. Eu sempre achei que CQC e Pânico eram um exemplo do protofascismo em voga na época. Foi o publiquinho mala de CQC e Pânico que vestiu as camisas amarelas e encheu a Paulista nos anos seguintes. Sempre achei os dois uma gigantesca merda. E a Monica, tadinha, é burrinha, ou era na época.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara com todo respeito ACORDA!!!! O Bolsonaro nao foi democraticamente eleito houve varios esquemas pra colocar ele lá ele foi colocado la pela mafia que agora compra refinarias ganha dinheiro com petroleo a 8 reais e roubou o pre sal ah e os que ganham 1 trilhao por ano do povo brasileiro com o esquema divida publica ELESSS ELEGERAM BOLSONARO nao a classe media ressentida

      Excluir
    2. Não fala que foi Golpe por que o Tony não gosta.

      Excluir
  3. A Netflix anunciou filmes do Almodóvar para fevereiro , uns três ou quatro, dentre eles Má educação e De salto alto !!! Para minha surpresa não estão na plataforma.

    ResponderExcluir
  4. meu favorito é ata me com o Bandeiras novinho e gatissimo. Sim li um HQ sobre a guerra civil durante o golpe contra a Dilma me ajudou a entender algumas coisas chama a arte de voar é pesado! Quem sobreviveu a guerra civil entrou em depressão e anos depois de matou, realmente a ganancia é doença mental grave e devia começa a ser analisada como tal no Brasil dava pra internar de milicianos a banqueiros.

    ResponderExcluir
  5. até hoje não acharam os restos de Garcia Lorca, é a Espanha tem um passado combrio mas comparado ao Brasil é um paraíso de igualdade social

    ResponderExcluir